Montanhas que parecem infinitas
Fios dançam subindo e descendo 
O céu limpo com nuvens se desenhando
Música no fone pra espairecer

48 pessoas diferentes,48 vivências 
Ninguém se fala, apenas vejo aparências
Ao piscar os que dormem se eternizam 
Os que estão acordados agonizam

Uma vaca sem pretensão, apenas anda 
Na pista um ônibus e ela ali parada descansa 
Motorista desvia da carne para pedra 
A senhora morte sempre espera...

Ela não anda com capa preta e foice 
Mais bela que uma sereia que mata quem a beija
Corpo em violão e roupas que atiçam homens 
Ela é a definição de maldade...

Seu programa predileto é ir ao cemitério
Um filme de comédia se confunde com o funeral 
Gargalhadas sem fim, os choros derramados são sua fonte de juventude 
Ela é a definição de maldade...

Fogo, gritos e sangue era o que eu via 
Mal pude me mexer , o sangue escorre 
Escuto socorros tento sair daquela visão sombria
Gasolina e fogo.1 segundo.Corre.Morre

Explosão grandiosa ,até parecia uma fogueira gigante 
Crianças jogando bola percebem o fogo 
Corre o mais rápido deles para avisar a sua mãe que está na igreja 
Esforços a toa..

As televisões agradecem a senhora morte 
Mais um dia com matéria, mais um dia de sorte 
Pessoas assistem enquanto almoçam 
Só mais um dia que 48 famílias se destroçam 
 
Quem se importa? Quem? Pra que? 
Eu não tenho nada a ver com isso 
A sua hora há de chegar você vai ver 
Em um susto acordo e escrevo isso.