Minha conturbada relação com o Facebook
Elder Martins
364

Eu entendo seu conflito, eu mesma vivo nele. No entanto, você não acha que pode estar culpando uma ferramenta pelo que as pessoas fazem com ela?
Quer dizer, eu entendo que essa mesma ferramenta quer que você faça exatamente o que faz com ela, mas não seria pertinente a nós, como pessoas pensantes, optar por não fazer? Quer dizer, você fala em bolhas proporcionadas pelo conforto do Facebook, mas o conforto em questão não é o mesmo que você tem ao optar por se desvincular por completo de algo que te incomoda? O Facebook no caso. Então talvez o monstro seja a internet como um todo, todos esses fatores que você listou relacionados ao Facebook podem ser aplicados para TUDO que existe online, para a vida online em si.

Argh.. eu ainda estou em fase de formar uma opinião a respeito disso e toda vez que chego nesse ponto, eu caio em outro conflito: Será mesmo que o problema é a vida online? Será mesmo que as relações não-online já não eram assim? Não será que agora só tomou forma? Texto, vídeo, audio e imagens? Agora tudo é registrado, visto por milhares, discutido por milhares, tudo fica exposto, as pessoas estão expostas e apesar de muitas vezes elas não gostarem disso, por vezes é exatamente isso que elas querem.

Então no final das contas, não será que nosso incomodo é apenas o reflexo da nossa incapacidade de se adaptar a essa exposição? Que culmina numa luta bizarra por privacidade e uma tentativa desesperada de se desvincular desse mundo.

OBS: Por vezes ao falar eu posso soar meio rude, se isso aconteceu eu peço desculpas, não é meu objetivo, de coração. Eu até pensei em mandar isso em private, porque eu realmente odeio esse tipo de exposição e porque não quero gerar uma discusão negativa em cima disso.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.