Buscando novos caminhos profissionais -Dando um tiro no pé

O que eu vou falar aqui pode depor contra mim mesma e até contra o trabalho de muita gente que lida com pessoas, mas vale conferir.


Sou psicóloga há mais de 25 anos, trabalho com coaching com foco nas pessoas que estão buscando um novo rumo profissional, um salto na carreira e um significado para para sairem da cama todas as manhãs não só para buscarem um salario no final do mês.

E então esta pessoa que está infeliz com o trabalho, estressada, querendo jogar tudo para o alto e morar na praia, procura ajuda de profissionais especializados ou apoio com vídeos, textos, palestras, nas redes sociais.

Ela encontra muita coisa, muita informação, muito curso, muitas dicas.

Tudo que ela encontra pede que ela tenha foco, administre o tempo,planeje,não procrastine,acredite nos seus sonhos, faça exercícios regularmente, aumente a auto confiança, se relacione bem. Perfeito, mas ela diz… to cansado.

E aí vem o tiro no pé, porque eu trabalho com isso, acredito que tenha muita ferramenta que realmente facilite este caminho para alguém que quer mudar sua situação atual de trabalho.

Mas… é muita exigencia, muita regra pronta, muita ferramenta e o que eu percebo que as pessoas estão ficando ainda mais angustiadas.

Ser acolhido, ser ouvido, compartilhar, mesmo que seja virtual, já deixa um caminho aberto.

Nada contra ferramentas, palestras, workshops, o próprio coaching, claro que não, mas aqui minha pergunta: Por que não o simples? Por que tantas técnicas?

É possível criarmos mais canais para nos ouvirmos e nos acolhermos do que nos propormos a ensinar, massificar e pressionar novos comportamentos ditos saudáveis e mais felizes?

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Raquel Galante’s story.