Alta Perfomance: 10 coisas que você precisa parar de fazer

O que as pessoas de baixa performance fazem e que você deveria parar de fazer?

Sempre estudei a alta performance com foco na parte positiva, pelo ponto de vista do sucesso: o que fazem as pessoas com resultados excepcionais? Como pensam? Quais suas rotinas? Como se expressam?

Por outro lado, ultimamente tenho prestado muita atenção também no oposto. Como se expressam pessoas de baixos resultados? Quais suas rotinas? Como pensam?

Acredito que podemos aprender muito (e melhorar muito nossos resultados) simplesmente evitando os erros mais comuns cometidos por pessoas de baixa performance.

Fiz uma lista rápida com 10 coisas que você precisa parar de fazer se quiser ter alta performance. É um check-list rápido, que permite uma auto-avaliação mas também uma lembrança constante de coisas que às vezes fazemos até sem reparar, mas que podem influenciar negativamente nossos resultados.

  1. Reclamar
  2. Inventar desculpas
  3. Excesso de pessimismo
  4. Medo do fracasso
  5. Pegar atalhos
  6. Excesso de auto-crítica
  7. Falta de gratidão
  8. Egoísmo
  9. Falta de foco
  10. Desistir

Comentários rápidos sobre cada um deles:

1) Reclamar: estudos feitos sobre a reclamação mostram que a pessoa que reclama, na verdade, quer atenção e quer sentir-se importante. É um estado de vítima que busca, de maneira infantil — como fazem as crianças -, chamar a atenção quando não estão de acordo com algo. Pode reparar como o reclamento sempre terceiriza a culpa. A pessoa que reclama com frequência da mesma coisa e não faz nada para mudar isso aceita passivamente o incômodo, acreditando erradamente que reclamar é uma forma de pró-atividade. Não é. Pró-atividade e iniciativa é FAZER algo, não ficar falando que algo deveria ser feito. Então você pode até reclamar uma vez de alguma coisa. Na segunda vez, troque a reclamação por uma sugestão ou faça claramente algo para que a situação mude. É o que fazem as pessoas de alta performance.

2) Inventar desculpas: Mais uma vez a questão da terceirização da culpa. Em casos de fracasso, dificuldades ou maus resultados, pessoas de baixa performance imediatamente têm uma série de desculpas já engatilhadas para justificar seus resultados. Já a pessoa de alta performance invariavelmente assume uma boa parte da responsabilidade. Enquanto baixa performance terceiriza a culpa e tenta se esquivar da responsabilidade, alta performance assume erros e falhas e imediatamente cria um plano de ação para melhorar essas falhas. Note que diferença que isso faz…

3) Excesso de pessimismo: Mais uma vez, temos diversos estudos demonstrando a força do otimismo x pessimismo. De maneira geral, na média, otimistas têm resultados muito melhores do que pessimistas. Mas uma dose pequena de pessimismo não pode ser boa? Sim, pode ser, pois deixa você mais preparado e mais alerta. Mas o excesso de pessimismo leva à inação, à não decisão, à paralisia, o que acaba fazendo com que a pessoa perca inúmeras oportunidades. Pessoas de alta performance são otimistas realistas (acreditam que vai ser difícil mas vão conseguir), já pessoas de baixa performance têm alta tendência de serem pessimistas e nem tentarem por que já sabem que não vai dar certo (e aí não dá mesmo, mas é por que não tentaram!).

4) Medo do fracasso: Você precisa fazer uma viagem rápida de volta à sua infância para entender o medo do fracasso. Basicamente, o que acontece é que, como crianças, aprendemos rapidamente a vincular ‘sucesso’ (fazer algo certo, tirar boas notas, impressionar nossos pais positivamente) com amor, atenção, carinho. Da mesma forma, o fracasso faz com que nos sintamos menos amados ou pior, menos dignos ou merecedores de amor. O medo do fracasso, na vida adulta, leva as pessoas à paralisia: o fracasso teria um impacto negativo tão grande na auto-estima dessas pessoas, que elas preferem não se arriscar. Mas qualquer pessoa de sucesso sabe que o maior risco é não correr riscos. Segredo das pessoas de alta performance: gerenciar de maneira inteligente o risco (o que é bem diferente de evitar totalmente os riscos).

5) Pegar atalhos: Eu tive um amigo na adolescência que gostava de repetir essa frase — ‘Se o atalho fosse realmente bom, não existia estrada principal’. A malandragem, a falta de ética, o cortar caminho — tudo isso pode até parecer trazer uma vantagem rápida de curto prazo. Mas nunca se sustenta. Pessoas que fazem a gestão da sua vida pessoal e profissional baseadas em VALORES sempre tem resultados mais consistentes, vivem melhor e atraem pessoas melhores também.

6) Excesso de auto-crítica: Mea culpa, mea culpa, mea máxima culpa! Excesso de auto-crítica pode ser duas coisas: ou é uma forma de masoquismo ou é uma forma de lidar com os itens 3 e 4 (pessimismo e fracasso). Afinal de contas, a auto-crítica exagerada é, no fundo, uma forma de ser pessimista em relação a si mesmo. Exigir de você mesmo mais é natural e saudável. O contrário dessa exigência seria a estagnação. Por outro lado, quando a exigência é exagerada, traz frustração, infelicidade e produtividade cheia de altos e baixos, acompanhada de picos e vales emocionais. Note que quando a filosofia Kaizen, “Hoje melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje”, não diz “Hoje fantasticamente melhor do que ontem e amanhã incrivelmente e sensacionalmente melhor do que hoje — UHU!!!”. Não… é uma coisa mais comedida, mais passo a passo, uma caminhada de curiosidade, de aprendizagem, de crescimento pessoal e profissional, uma filosofia espiritual de desenvolvimento. Mas sem açoites, físicos ou psicológicos. Imagine uma criança que se auto-criticasse cada vez que caísse quando aprendendo a andar. Estaríamos até hoje todos andando de quatro. Então por que fazemos isso quando adultos?

7) Falta de gratidão: A melhor forma de você afastar alegria, amor e o próprio sucesso é sendo ingrato ou ingrata. A gratidão faz você valorizar o que tem, o que é bom, o que é positivo. Gratidão é uma questão de foco. Quando você pratica a ingratidão, você está focando no que? No que não tem, no que é ruim, no negativo. Isso não é nem nunca será caminho para o sucesso, para a felicidade ou para a alta performance plena, realizada e sustentável. Pratique diariamente a gratidão: separa dois minutos ao final do seu dia para recapitular o que aconteceu de bom e tudo que já existe de bom na sua vida. Foco no positivo! Isso só vai melhorar seus resultados e sua vida.

8) Egoismo: Ego significa ‘eu’ e egoísmo é o amor excessivo por si mesmo, levando somente em conta suas próprias necessidades e interesses, desprezando as necessidades alheias. Se você já conviveu com alguém cujo único discurso e único interesse era ‘eu, eu, eu’, sabe como é impossível ter uma relação sadia e saudável com alguém assim. As pessoas egoístas, por exemplo, não tem amizades — tem interesses. Elas vão se relacionar com alguém enquanto essa pessoa lhes trouxer algum benefício claro e imediato. Pessoas egoístas são geralmente arrogantes também, pois acham que sua opinião e seus interesses são mais importantes do que os de todos à sua volta. Já pessoas de alta performance sabem que a empatia, a rede de relacionamentos, ajudar os outros a ter sucesso são justamente as melhores formas de ter sucesso. Nenhum sucesso de verdade acontece sozinho — você precisa ter ao seu lado pessoas com as quais compartilha energia, valores, experiências. Pessoas egoístas acham que estão conseguindo mais para elas sendo egoístas, mas é uma visão muito, muito limitada, imediatista, de curto prazo. A longo prazo ninguém de alta performance de verdade consegue subir sem ajudar os outros a subirem também.

9) Falta de foco: A famosa síndrome da barata tonta. Dizem que Warren Buffett certa vez contou um dos seus segredos do sucesso: faça uma lista de 10 metas que você quer atingir este ano. Agora corte 9 delas e só fique com uma. Pronto: isso é foco. Quem se dedica a atingir 10 metas de verdade não tem meta e muito menos foco. Foco é dar prioridade. Pessoas de alta performance sabem exatamente quais são as prioridades e organizam seu tempo de acordo com a prioridade. Pessoas de baixa performance invariavelmente não tem prioridades, ou dão prioridade ao que é urgente mas não importante.

10) Desistir: Pegue uma pessoa de sucesso, estude sua vida vai descobrir, 100% das vezes, que a superação de dificuldades foi uma constante na história dessa pessoa. É simples assim: pessoas de baixa performance desistem. Pessoas de alta performance persistem.

Abraços de alta performace,

Raul Candeloro
P.S. Material baseado no curso PAP, Princípios da Alta Performance: www.institutovendamais.com.br