Em 19/02/1996 (ou seja, há exatos 20 anos), o Oasis lançava o single “Don’t Look Back In Anger”

Foi no dia 19 de fevereiro de 1996 que o mundo conheceu um dos refrães mais explosivos do rock

Após o lançamento de seu segundo álbum de estúdio, (What’s The Story) Morning Glory?, o Oasis continuava desfrutando do sucesso absoluto na Inglaterra. E voltaria a ocupar o topo mais alto das paradas de sucesso da ilha britânica com o single “Don’t Look Back In Anger”. Que também apresentou o lado cantor do guitarrista Noel Gallagher.

Tudo começou em uma passagem de som na turnê com o The Verve, quando, por acaso, o vocalista, Liam Gallagher, ouviu o irmão mais velho cantar. O próprio Noel explica:

“Eu tinha os acordes iniciais da canção e comecei a escrevê-la. Nós iríamos tocar dois dias depois, nosso primeiro grande show de arena, (o lugar) agora se chama Sheffield Arena. Durante a passagem de som eu estava longe, tocando guitarra acústica, quando Liam perguntou ‘O que é que você está cantando?’. Eu não estava cantando nada, estava inventando. “Você está cantando “So Sally can wait”’, disse Liam, e eu fiquei tipo ‘Gênio!’. Lembro de voltar para o backstage e escrever tudo. Depois disso tudo veio muito rapidamente, O título (Don’t Look Back In Anger) apenas saiu. Nós escrevemos as frases no camarim e realmente a tocamos naquela noite. Na frente de dezoito mil pessoas, com a guitarra acústica. Como um idiota. Eu nunca faço isso agora.
Quando estávamos indo gravar ‘Wonderwall’ e ‘Don’t Look Back In Anger’, inicialmente eu ia cantar ‘Wonderwall’ e Liam disse ‘Eu quero cantar essa!’. Eu disse ‘eu vou cantar uma das duas, você fez a sua escolha’. Aí ele ficou com ‘Wonderwall’ e eu com a outra.”

Em 1995, o baterista, Tony McCarroll, um dos fundadores do Oasis, foi convidado a se retirar do . Um dos motivos que levaram Noel a perceber que McCarroll não era um bom músico foi justamente “Don’t Look Back In Anger” (“he couldn’t even play in a straight line“).

Tony McCarroll, baterista fundador do Oasis

E a tal Sally? Noel garante que não conhece nenhuma garota com esse nome. É apenas uma palavra que se encaixa na música. Segundo o compositor, a faixa seria cruzamento entre “All the Young Dudes” (Mott The Hoople) e alguma coisa que os Beatles poderiam ter feito.

Já a introdução de “Don’t Look Back In Anger” remete a duas músicas: “Imagine” e “Watching the Wheels”, ambas de John Lennon. Sobre isso, Noel certa vez disse que “cinquenta por cento do que foi colocado ali é para enrolar as pessoas. Os outros cinquenta estão dizendo ‘olha, é assim que músicas como essa acontecem, porque ela são inspiradas em músicas como ‘Imagine’”. E não importa o que as pessoas possam pensar, sempre vai ter um garoto de 13 anos que vai ler uma entrevista e o que eu acho de “Imagine”. Se ele nunca ouviu a canção, ele pode comprar o disco. Algo assim.

Outra curiosidade é que “Don’t Look Back In Anger” foi escrita exatamente quarenta anos depois da produção de uma peça chamada Look Back In Anger, de John Osborne. O personagem principal se chamava Jimmy Porter e capturava toda a natureza furiosa e a rebeldia daquela geração.

Ironia de Noel Gallagher e “Don’t Look Back In Anger” para dizer que agora o Oasis representava uma nova geração de roqueiros rebeldes? Pensem nisso. E ouçam esse clássico: https://youtu.be/cmpRLQZkTb8.


Originally published at movethatjukebox.com.