Overcokeed e o Trabalho em Equipe.

Há algum tempo venho ensaiado a escrever um blog ou outra plataforma para alinhar meus pensamentos e minhas opiniões, além do meu modo de ver as coisas.

Pensei em fazer isso no Likedin, mas não quero falar só de negócios. Quero falar sobre coisas que aprendi, com amigos, familiares, clientes, com meu noivo, com o porteiro. A lista de pessoas que podem nos ensinar é vasta, mas acredite em mim, é com pessoas comuns que você irá aprender as coisas mais preciosas. Basta abrir os olhos e estar disposto a ouvir o que cada um tem a dizer.

Confesso que: aprender ouvir será a parte mais difícil. Pois tenho o péssimo hábito de acreditar que eu sei o que a pessoa tem a dizer, mas a verdade a gente já sabe: nunca saberei o que o outro tem a dizer, a menos que eu a escute. Óbvio, não?!

Mas se você está lendo isso, você talvez se pergunte: “quem é essa pessoa que acha que tem o poder de telecinesia, tem a me ensinar?” Não sei, não, mas sei que iremos descobrir com o tempo.

Uma apresentação:

Sou Rayssa Santana Guth, goiana do pé rachado (sqn), com 25 anos bem vividos, quase pós graduada e que recentemente abriu um negócio de consultoria digital. Fundadora do Paralelo Mundi (aos 19 anos), que acabou, mas mantém a chama acesa no coração de uma equipe. Noiva do seu melhor amigo que no futuro será um psicólogo corporal muito fodido (acostume-se, eu adoro essa palavra). Falo muito palavrão, mas sou comprometida com tudo aquilo que amo. E sou APAIXONADA por cultura.

Me conheceu? Claro que não.

Agora você sabe o básico. Vamos seguir? Decidi escrever sobre uma coisa que vem me assombrando nos últimos dias: Trabalho em Equipe.

Trabalho em Equipe:

Precisamos esclarecer um ponto antes de prosseguir. No último ano tive problemas em trabalhar em equipe. Pelo menos era isso o que me faziam crer: “Você não é boa em trabalhar em Equipe”, cheguei a ouvir.

Então ontem aconteceu algo esclarecedor: Comecei a jogar Overcooked com o Filipe, meu noivo. Overcooked é considerado o jogo multiplayer do século! (Instituto Rayssa de Pesquisa) E ele só foi liberado para compra online no dia 3 de agosto de 2016, e já é um sucesso!

Overcooked — O jogo Multiplayer do século

A ideia do jogo é bem simples: trabalhe em equipe e entregue o prato e salve o mundo de uma Almondega Gigante Monstra. Simples? Não. O jogo não é fácil, ainda mais para quem não sabe trabalhar em equipe.

Com uma interface simples e infantil, a diversão é certa. O jogo Overcooked foi desenhado para que 4 pessoas ou mais gerenciem uma cozinha. Para quem gosta de cozinhar é divertidíssimo (sério).

Mas para quem quer aprender a fazer parte de uma equipe, esse é um caminho divertido de entender que cada um tem a sua função. Pois, com esse jogo é impossível jogar com apenas uma pessoa. Simples assim.

Duvidada?! Veja o vídeo:

Quando entendi o conceito, confesso que fiquei: “Meu Deus eu e o Filipe vamos surtar. Vem aí briga na certa, a final eu não sei trabalhar em equipe.” Nas primeiras fases, em níveis mais fáceis conseguimos fazer uma certa pontuação (três estrelas em quase todos), porém ainda não trabalhávamos em equipe.

Mas o que era esse trabalhar em equipe?

Então te convido a pensar comigo.

Para mim, disse para mim, uma equipe significa um grupo de pessoas, que JUNTAS lutam para conquistar um objetivo. Deixo claro o “juntas”, pois precisaremos falar disso depois. Guarda aí.

E uma equipe só pode ser uma equipe se há mais de uma pessoa nela. Óbvio, novamente. E para que a Equipe conquiste o objetivo, costumamos a separar e delegar as funções.

Por que separar antes de delegar? Pois para se formar uma equipe você precisa ter uma noção de qual é o seu objetivo e quais são as etapas para que ele seja possível. (Vamos combinar de falar sobre isso depois?) Tendo separado as funções e processos, chega o momento mágico de formar uma equipe. Esse momento é o momento da seleção. Você escala o seu time para o jogo.

Porém o que acontece e aconteceu, em todas as empresas em que trabalhei, é: a gente entrava no jogo sem treinamento em equipe, sem conhecer a equipe.

Já no Overcooked, a separação de funções deve ser feita em segundos, no exato momento que o pedido aparece. No começo eu e o Filipe estávamos perdidos, cada um fazendo tudo. Eu pegava os alimentos, cortava e colocava na panela, mas o Filipe também fazia o mesmo. E claro, assim conseguíamos 3 estrelas nas fases iniciais, mas quando o nível de complexidade aumentava, pior íamos.

A esteira

Então algo mágico aconteceu: A fase da Esteira. Nessa fase estávamos separados por uma esteira. Cada um teria de desempenhar a sua função e esperar e compreender a velocidade de cada um. Ou seja, o prato só ficaria pronto se trabalhássemos em equipe. Não tinha outra alternativa.

Nessa fase, tínhamos que cozinhar hambúrgueres e na lógica do jogo tínhamos que desempenhar cada um o seu papel. Tínhamos que seguir as nossas funções.

Primeiro, o Filipe precisaria me passar através da esteira as carnes para que assim eu pudesse picá-las e devolvê-las para que ele fritasse. Depois teria que me passar os três pães, para assim montar os pratos, depois alface e tomate se precisasse. Ou seja, o meu desempenho no jogo dependia dele e o dele de mim e JUNTOS conseguiríamos o objetivo. (Viu o juntos aí?! Vai vendo)

E foi assim, numa fase de um jogo que descobri que nunca tive problemas em trabalhar em equipe. E sim tive gestores, que assim como eu, não souberam gerenciar suas equipes, não introduzindo os novos chegados à equipe e não reparando danos na perda de um membro. Não estipulando as nossas funções de acordo com os pontos fortes de cada um e não oferecendo a oportunidade de trocarem de lado, também.

Então fica assim: a gente entra para o jogo e cada um faz a sua estratégia para conseguir montar o prato. Mas é nesse momento que a sopa queima. Um vai querer mais, um vai querer menos e assim todos se separam. Começa a arte milenar de puxar tapete.

Então eis ai a questão: “O problema da equipe é o fulano” é o que apontam. Como apontei nessa fase da esteira, ao achar que o problema era o ritmo do Filipe, mas não a delegação de tarefas. Muitos gestores acabam comprando esse discurso e abrem mão de pessoas chaves para o projeto. E aí a equipe se dissolve e têm que começar tudo novamente.

Abrimos mão de uma peça da engrenagem, pois talvez isso seja uma equipe: peças de engrenagens que fazem com que o relógio ande. Peças que se ajustadas de forma correta, demarcam a hora de forma precisa.

Enquanto isso, eu e o Filipe estamos na estrada tentando conseguir 3 estrelas em todas as fases. Cada dia, nossa velocidade e nossa pontuação cresce. E já estamos a 8 fases de zerar. De conquistar o nosso objetivo, batendo a meta em 100%.

E por outro lado, espero que gestores um dia também joguem esse jogo. Sério: Joguem Overcooked.