Diário de bordo — 100Gurias100Medo

De 15 a 18 de junho de 2017 rolou a segunda edição do 100 Gurias 100 Medo, em Floripa, e eu vou contar um pouco mais dessa experiência que aqueceu meu coraçãozinho nesses 4 dias.

Minas de Bici CWB — Maíra Kaline

12 minas de CWB em uma Van que OPA! DEU RUIM! Na sexta feira, com tudo certo, a empresa contratada para nos levar até Floripa avisou que não tinha habilitação para fazer a viagem. Meio desesperadas mas não menos animadas, começamos a movimentar a compra das passagens de ônibus, e às 4:00 (com mais de meia hora de atraso e antipatia dos funcionários da @Eucatur) colocamos nossas bikes desmontadas no bagageiro da lata que ia ser nossa casa nas próximas 6 horas.

Dançando um Funk — Maíra Kaline

- 15/06 — Chegada

Chegamos na rodoviária e já achamos mais minas, montamos juntas as bikes e as mochilas foram levadas até a casa da Fer (mulherão que hospedou a gente) em um uber (VAI UBER!). Quase 10km de ciclovia pela beira mar com aquele visual lindo e um funk pesadaum na caixinha deixaram a preguiça da viagem lá atrás e a gente já queria saber aonde ia almoçar. Pitstop para pegar dinheiros e documentos, bora almoçar e ir pra UFSC assistir a apresentação “Nuestros Cuerpos” do grupo”Nós passarinhas” na abertura do evento. Passamos o dia conhecendo minas incríveis, mas no dia seguinte ia ter pedal de 100km e a gente tinha que descansar, né? Subimos na bike e em 9 fomos até em casa, fazer a fila do banho enquanto a pizza não chegava. SONO, CANSEIRA, CAMA

Início do pedal — Maíra Kaline

- 16/06 — Praia ou Pedal?

Com a Fer na organização, às 5 já estavamos acordando para comer muito crepióca antes do pedal. Todos com suas roupinhas confortáveis para um super pedal, às 6 estavamos a caminho da UFSC para nos juntarmos com mais de 100 minas e colocarmos as pernas para funcionar. O carinho foi tanto que durante o trajeto e até acabar, tinha open de mimosa (mixirica ou o que quer que seja na sua cidade), banana (pra não dar cãimbra) e PAÇOCA (sim, isso mesmo, OPEN DE PAÇOQUINHA)!! O carro de apoio levava tudo e a gente podia “reabastecer” a cada parada. Quando chegamos em uma praça (não lembro bem a altura do pedal) o povo separou, teve a galera que fechou os 100km, a galera que fechou os 50km, e a galera dos 65km, que fez um desvio para a praia da Jurema, curtir um sol e beber uma bera na beira do mar. O pedal foi tranquilo, mesmo morando tão longe, pedalar do lado das minas de POA foi fácil, como se a gente já tivesse feito aquilo várias vezes ❤ Nos reagrupamos na UFSC e partimos comer vários kilos de batata frita e rir exaustas daquele dia incrível, aonde cada uma viveu sua aventura.

Olha o tamanho dessa roda!
Tinha brilho pra todo o lado — Maíra Kaline

17/06 — Roda de conversa e VeloFesta

O dia 17 foi mais tranquilo, pra todo mundo se recuperar até a hora de bater o popô no chão, dançando no mesmo lugar que rolou o Torneio Open de Bike Polo em Floripa. Com atraso (ninguém acordou na hora) a roda rolou de forma orgânica, aonde quem queria dividir alguma experiência erguia a mão e esperava a vez. Posso dizer que aprendi muito com essa troca, querendo ou não a gente se identifica com as histórias, que mudam apenas de cidade e de pessoa. Saí da roda para almoçar e colar com a Brunis fazer umas tatuagens no centro da cidade, quando voltamos, já estava quase na hora de ir para o VeloFest, que começou umas 19 e pra gente durou até a 1:30. Teve mina tocando, discotecando, dançando muito; teve tombo de bike, vários snapgrams, muito chopp artesanal e comida gostosa. QUEM NÃO FOI, PERDEU! E bora se organizar pra ir embora, que no dia seguinte, voltaríamos para nossa cidade cinza.

Bike Polo só de MINAS-Maíra Kaline

-18/06 — Bike Polo e Tchau

No dia 18 voltamos até as quadras da costeira, fizemos as fotos para o vídeozinho que vocês podem ver ali em baixo e jogamos um “Polinho”. Várias minas poderosas em cima de suas magrelas, armadas de tacos e sedentas por gols. Brincadeiras à parte, rolaram vários joguinhos e é lindo ver que as minas tão crescendo no esporte (YOUGOGIRLS!). Colocamos tudo em um Uber e mandamos para a rodoviária, enquanto nos despedíamos das gurias que estavam ali. Pedalamos até lá e desmontamos as bikes, agora muito simpáticos, os funcionários da Eucatur foram super atenciosos (VALEU *-*), em algumas horas a gente chega em CWB de short e camiseta, pra morrer de frio e saudade dessa trip.

Foi lindo, foi!-Maíra Kaline

— — —

Obrigada à organização, às participantes, à todos os envolvidos. Essa experiência com certeza vai trazer coisas boas e histórias incríveis. Eu nunca tinha me sentido tão forte, obrigada pelo carinho e pela dedicação, pela luta diária. Um salve especial pras minas de CWB que ficaram hospedadas comigo e pras minas de POA que me ensinaram tanto, vocês me inspiram. JUNTAS SOMOS MAIS FORTES!

|Escrito por Gabriele Lepca

> Fotos Maíra —

https://www.flickr.com/photos/kcabral/albums/72157682365390313

> Link do Evento —

https://www.facebook.com/100gurias100medo/

> Instagram Rainbow Team (segue a gente!) —

https://www.instagram.com/_rainbowteam/

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.