45 dias

Quando decidi aceitar a oportunidade de realizar esse trabalho fotográfico, não tinha ideia do que me esperava. Mas, quando se está aberto para as oportunidades, ou encaramos ou corremos, rsrsrs….eu decidi encarar.

Vivi 45 dias de intensidade no interior do Sul baiano, numa cidade de 22 mil habitantes e com uma vasta extensão territorial, chegando na divisa com Minas Gerais.

Talvez essa experiência seja para poucos e a 1 dia de finalizar meu contrato e seguir meu caminho, tenho plena certeza que não só cumpri com o que devia, mas principalmente aprendi muito mais do que poderia imaginar.

Foram os 45 dias mais intensos deste de ano 2016. Até o momento, rsrsrs

45 dias conhecendo uma dura e indigesta realidade brasileira. 45 dias fotografando coisas lindas como a cadeia de montanhas de granito, onde o município está incrustrado e não tão lindas assim, ou seja, muitas vezes fotos difíceis de registrar, onde a emoção foi forte. Foram mais de 2.380 fotos, 04 vídeos particulares onde filmei a natureza e 03 para o trabalho. 45 dias onde apenas me certifiquei que sem a devida Educação, o povo é facilmente comprado e manipulado, pois não tem o conhecimento devido para se defender e dizer “não”. 45 dias onde vi que o desvio e a corrupção, fazem um estrago gigante em um município, pois o recurso financeiro existe sim e a realidade poderia ser completamente outra.

Foram 45 dias onde houve emoção, revolta, observação, receio, medo, mas também alegria e prazer. Uma mistura de sensações, essa é a verdade. Sorri para coisas belas e comentários engraçados e situações inusitadas. Expressei e dei minha contribuição ao ser solicitado e fui ouvido, pois falei com firmeza. Mas também fui imparcial, afim de me preservar, numa terra literalmente “sem lei”, infelizmente. 45 dias em que tenho certeza absoluta que dei trabalho para meu Anjo da guarda (e muito) e tive a proteção divina, pois meu amigo, isso aqui não é brincadeira não. Não se trata apenas de apertar o botãozinho da câmera e tudo bem. São riscos que se corre ao clicar tal fato, situação e personagem. Corri riscos de ficar sem câmera e de ser agredido. Mas a força divina é muito maior que qualquer coisa.

E por fim, hoje fiquei imaginando, quantas cidades iguais a essa ou piores, devem existir por aí em um sofrimento dolorido. 45 dias em que vi um povo “domado”, “alienado” e principalmente “manipulado”. Pessoas sim ingênuas que não sabem e percebem que estão sendo ludibriadas com conversas “lindas” e “maravilhosas”.

Mas posso afirmar também que, muitas pessoas também que insistem no erro, por ter o seu momento presente atendido, devido a necessidade ou não e esquecem que irão amargar por 4 ou 5 anos.

A realidade aqui, “in loco” é muito mais intensa e pesada. Só vivendo para entender ou não o porquê das coisas e situações.

O que posso dizer é que tenho Gratidão por esses 45 dias de puro aprendizado. Onde vou embora com uma sensação de dever cumprido, mas mais que isso, de que é possível idealizar e realizar coisas para que a sociedade possa viver melhor e dignamente. Mas é preciso combater a corrupção e não só de políticos, mas a corrupção de cada ser humano. Ela existe e quem disser que não, é sim um corrupto. A questão é fazer um exame profundo de consciência e entender se há, como combater e acabar com esse mal destruidor.

Vou embora domingo. Aqui escrevo algumas poucas linhas dessa incrível experiência. Quem sabe, com o material que possuo, não só fotográfico, saia um breve livro contando mais sobre tudo isso. Quem viver verá e lerá.

A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada. — Albert Einstein
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.