Muito além de uma oposição.

Não sou em favor do PT, da Dilma ou suas alianças. Muita coisa tá errada e isso é notório. Porém é necessário termos consciência do que um impeachment pode causar ao nosso país:

1- É necessário ser comprovada improbabilidade política, por um parecer técnico, para que ocorra um impeachment, será que a população sabe exatamente o que é isso? Não temos motivos suficientes que justifiquem isso legalmente. [Os prazos e regras estão nos artigos 85 e 86 da Constituição Federal e na Lei nº 1.079/1950]

2- De acordo com o artigo 79 da Constituição Federal, em caso de cassação do Presidente da República assume o Vice-Presidente, no nosso caso, Michel Temer, do PMDB, sucessor do Movimento Democrático Brasileiro fundado em 1966, na ditadura militar.

3- A presidente foi eleita de forma democrática, por meio do voto popular. E apesar de concordar que mudança de governo é importante, é bem comum no Brasil ter reeleições e manter um partido no poder, por mais ineficiente que ele seja. São inúmeras as oligarquias que começaram no início do século passado e se mantém até hoje: família Collor de Mello em Alagoas, família Magalhães na Bahia, família Sarney no Maranhão e por aí vai, ninguém se opõe. O Estado de São Paulo é governado pelos tucanos, há mais de duas décadas, vive acuado por uma crise hídrica resultante da incompetência criminosa do governo. Porém não há nenhum grito de guerra contra Geraldo Alckmin e seu partido.

4- Pedem o FIM DA CORRUPÇÃO sem avaliarem que a única forma disso acontecer é com uma REFORMA POLÍTICA. Essa que o CONGRESSO QUE VOCÊ ELEGEU VETOU. Porém, você quer UMA MUDANÇA INSTANTÂNEA da mesma forma que pensa que toda essa corrupção veio, SEM ANALISAR TODA A CONSTRUÇÃO HISTÓRICA DE UM PAÍS CALCADO EM PRIVILÉGIOS E ROUBOS, QUE ANTES NEM INVESTIGADOS ERAM.

5- Pesquisem sobre os principais políticos que foram eleitos em todos poderes que compõem o Estado. Inclusive a oposição que não foi. As CPIs que foram impedidas de serem feitas e investigações arquivadas ilegalmente.

6- Impeachment enfraqueceria ainda mais um país fragilizado, isso alteraria todo um sistema. E como seria, posteriormente, sem um plano para toda essa mudança nem por parte do Governo nem da oposição? Suas consequências práticas?

7- Quem é o perfil socioeconômico? Quais são suas reivindicações? Que compreensão essas pessoas têm do nosso cenário político? Quais as soluções que sugerem? Eu não vejo nenhum protesto em prol da democracia. Vejo uma massa desnorteada e politicamente pobre. Vejo pessoas que não sabiam sequer quem assumiria em caso de impeachment clamando pela mesma, pedindo intervenção militar não percebendo que está protestando contra o próprio direito de protestar, com erros de português, inglês, raciocínio lógico.. História? Qum é essa? Com apoio de novos intelectuais e cientista político: Bolsonaro, Felicciano, Eduardo Cunha. É esse mesmo o caminho que queremos.

8- A atenção é voltada para a Petrobras por uma questão simples: os investidores recuam, a moeda desvaloriza. Mas cadê a discussão sobre as empreiteiras que a levou a isso? Onde está a luta pelos direitos do cidadãos? Pelo estado laico? Porque só entrou em pauta ser contra políticas sociais, como disseram, no Ceará não tem mais mão de obra, tá todo mundo deitado na rede recebendo o Bolsa-Família? É mais viável a massa revoltada garantir à viagem a Miami do que o bem estar social de toda uma população.

PS: É RIDÍCULO, O GOVERNO NÃO ASSUMIR UMA RECESSÃO, que é evidente! É mais eficiente direcionar o cidadão em como agir nesse momento. Acho válido as manifestações, seja em pró ou contra, estamos exercendo nosso dever de cidadãos. Porém não adianta vir com discurso raso. Só discutimos política em momento de tensões, e ainda assim, sem apresentar ter nenhuma base teórica, histórica ou mesmo a construção de um censo crítico político. Uma alienação política que é legítimo da cultura brasileira muito antes mesmo do PT existir.

Não adianta ser contra político privilegiado se manifestando de forma oportunista, grandes conquistas requer grandes responsabilidades.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.