10 coisas que venho aprendendo na Arpex

Se nos preocupamos com o desenvolvimento, devemos escolher ambientes e pessoas que nos desafiem, nos estiquem e nos tirem da zona de conforto. Não há aprendizado sem dor.

Sempre fui a nerd da sala e do colégio. Meus pais nunca me forçaram a tirar boas notas nem nada, eu simplesmente amava desafios, estudar e aprender coisas novas. E os bons resultados vinham como consequência disso.

À medida que crescia, minha relação com o aprendizado e os estudos ia ficando cada vez mais forte e me trazendo, naturalmente, uma vontade constante de me desenvolver e ser sempre melhor naquilo que fazia. Desejava tirar o máximo proveito de cada coisa, cada aula, cada professor, cada livro e material que lia. Isso era energizante para mim, acredite. Por isso, sempre buscava me aproximar de pessoas e me inserir em ambientes que podiam me desafiar e me ensinar. Foi por isso que me interessei também pela Arpex.

A companhia tem um propósito muito bacana de transformar a vida dos lojistas e das pessoas que constroem a empresa aqui , e “transformar” significa desenvolver, ajudar a se tornarem melhores. Isso tinha tudo a ver comigo! O foco em pessoas e em desenvolvimento e, sobretudo, o fato de dar missões grandes para os colaboradores — maior do que achamos que podemos aguentar, inclusive, mas que, no fim, descobrimos que podemos — nos faz sermos constantemente expulsos da zona de conforto, desafiados e esticados.

Além disso, o fato de sermos jovens e estarmos fazendo muitas das coisas pela primeira vez faz com que sejamos muito estimulados a estudar a fundo os assuntos dos quais tratamos e nos tornarmos referência naquilo aqui dentro. Mas o aprendizado, na Arpex, não vem só de livros (aliás, temos uma biblioteca aqui também, que uso desde minhas primeiras semanas com a turma), vem também, e principalmente, do dia a dia das missões, das pessoas com as quais convivemos e dos feedbacks que recebemos. Se soubermos aproveitar, não importa aonde estamos e com quem estamos, temos sempre uma série de oportunidades e recursos para adquirir mais conhecimentos; é só saber buscá-los, encontrá-los e aproveitá-los.

Em apenas 5 meses de empresa, já tive alguns ensinamentos fundamentais que têm ajudado a me tornar uma pessoa e profissional melhores e contribuir para a companhia construir um negócio grande e com alto impacto no Brasil e mundo. Mas acredito que estes ensinamentos podem servir para qualquer pessoa com estes objetivos também, seja com maior enfoque no desenvolvimento pessoal ou no profissional.

Então, seguem aí 10 coisas que venho aprendendo desde o dia em que entrei na Arpex:

#1 Tenha uma visão grande e um pensamento a longo-prazo

Eu sempre achei que tinha sonhos grandes, mas descobri aqui que não. Não podemos sonhar com o possível, devemos sonhar com o impossível e quebrá-lo em objetivos e estratégias mais plausíveis. A galera aqui tem um sonho do tamanho do universo e acredita que pode realmente transformar o mercado brasileiro e mundial. Parecia um sonho louco no início, mas a cada ano ele se torna mais realizável. O dinheiro e o sucesso são consequências de se ter uma visão a longo-prazo e, acredite ou não, objetivos grandes são mais fáceis de atingir porque se sobrepõe às distrações dos pequenos. Não tenha medo de ser o louco, de enxergar além do que normalmente as pessoas enxergariam. Mire lá na frente, acredite na realização daquilo e traga as pessoas para te ajudar a conquistá-lo. Chegará o momento em que não mais será o louco, será o líder.

#2 Simplicidade: tenha prioridades, faça poucas coisas e faça-as bem

Sempre quis entregar a mais do que o pedido e, por isso, acabava agregando várias coisas no meio do caminho e complexificando muito; isso me atrapalhava a, de fato, entregar o que deveria. Aqui na Arpex, aprendi a não pegar muita coisa para fazer, pegar poucas, mas fazê-las bem-feito e agora. Quanto mais direções tem, menos distante você vai porque seu potencial está disperso. Ir em poucas direções é a maneira mais certa de ter sucesso, a simplicidade torna as coisas mais fáceis e menos suscetíveis a erros. Seja o melhor naquilo que faz, o que importa é a sua capacidade de entregar. Tenha prioridades, alinhe seus objetivos em uma única direção e diga não para qualquer outra coisa que apareça no caminho.

#3 Tenha senso de propriedade/dono, dê o seu melhor e faça mais do que o esperado

Esse foi um dos principais pontos pelos quais me identifiquei com a Arpex. Sempre acreditei que não conseguiria nada sem trabalho duro. E, aqui, temos uma cultura de ownership, em que nos preocupamos pela empresa como um todo e trabalhamos muito duro para construir as coisas. E dono é aquele que faz todo tipo de função, e além, para manter o negócio em ordem. Por isso, faça as coisas muito bem, mesmo as pequenas. Se você não consegue fazer as pequenas coisas bem, você nunca será capaz de fazer coisas grandes. E nunca se contente, sempre dá para melhorar. Faça mais do que o esperado, assim se desenvolverá mais, entregará mais e, consequentemente, terá mais oportunidades. Quando é o número 1, você controla o seu destino.

#4 Dê importância à cultura e ponha sua mente (inteligência) e coração (energia) na frente, como guias do seu corpo

A galera aqui dá muito valor à cultura e ao propósito e o porquê das coisas. Isso me faz repensar o quanto, às vezes, fazemos as coisas sem entender os motivos e implicações e sem nos preocuparmos pelo modo como fazemos. Tão ou mais importante do que ‘o quê’ é o ‘como’ fazemos. Por isso, dê importância aos valores e enfrente os obstáculos com a cabeça à frente do corpo. Utilize sua inteligência e coloque sua energia máxima e seu coração no que desempenha, para fazer o seu melhor.

#5 Reúna pessoas melhores e complementares a você para te ajudar e trabalhe em time

Às vezes, na minha busca pela excelência, achava que conseguiria conquistar as coisas sozinha, apenas com muito estudo e dedicação. Não podia estar mais errada. Até poderia conquistar algo, mas você não pode mudar o mundo sozinho. Para alcançar o que quer e ser bem-sucedido, cerque-se de pessoas complementares a você, para disporem de diversas opiniões e perceberem os seus pontos cegos; e cerque-se de pessoas melhores que você também, para te sucederem. Conviver com pessoas boas aumenta sua barra.

#6 Envolva as pessoas e se inspire nos melhores: esteja aberto e converse ao máximo com as outras pessoas e áreas

Por vezes, também esquecia da importância que é conversar informalmente com as pessoas no dia a dia, inclusive as que não conhecemos direito, ouvindo suas opiniões e anseios. Na Arpex, é muito importante o trabalho em equipe e estarmos abertos a ouvir a opinião e conversar com as outras áreas.

#7 Tenha uma cultura de aprendizado, eleve a sua barra e a dos outros

Isso foi outro ponto que sempre levei para a minha vida: esteja sempre aprendendo, principalmente com as pessoas, e se superando. Trocar ideias, aprender coisas novas e com o erro dos outros eleva a sua a barra e a do time também, gerando um círculo virtuoso para todos. Ninguém é suficientemente bom sozinho. Novas ideias são o sangue de qualquer organização e em algum lugar dela alguém tem uma excelente ideia. Remova as barreiras (seja de timidez ou mesmo hierarquia) e pratique um fluxo constante de ideias. Se tem algo que a Arpex vem me ensinando neste ponto é não se preocupar só com o meu próprio desenvolvimento, mas com o do time também. Tenha uma relação saudável de apertar e esticar um ao outro, assim todos se desenvolverão. Além disso, se inspire e se fortaleça em mentores. Converse, peça opinião e copie quem cresceu e está feliz.

#8 Escolha agir com autenticidade, integridade e ética

Sempre busquei ser correta e justa, mas muitas das vezes não dava tanta importância a ser eu mesma de uma forma completamente natural. Fomos criados, erroneamente, com o pensamento de que devemos nos adequar e nos “moldar” a determinados ambientes e situações, mas isso é pura balela. Seja você mesmo, haja com energia e ética e meça uma pessoa pelo tamanho do seu coração. mas devemos nos lembrar que integridade e ética são mais do apenas questões legais, são valores que devem nos guiar a todo o tempo. São sobre sempre fazer a coisa certa, não apenas a legal. Mais uma vez, dê atenção aos valores, ao “como” agir.

#9 Assuma riscos, encare os obstáculos e fracassos de frente e nunca desista

Muitas das vezes, quando queremos ser os melhores, procuramos não arriscar e nos garantirmos naquilo que conhecemos, não é? É aquela história de “melhor um pássaro na mão do que dois voando”. Eu era muito assim, mas esqueça isso agora! Se quiser completar a viagem, não fuja dos obstáculos. Arrisque, erre e supere seus erros. Assuma-os e siga em frente. A mudança cria oportunidades, por isso, não se assuste com ela, se jogue. Você provavelmente vai falhar com frequência e será doloroso e desencorajador, mas, se quiser mudar o mundo, aceite um osso maior, assuma alguns riscos, se mantenha durão e não desista. Os fracassos te deixarão mais resiliente e forte no final.

#10 Divirta-se, celebre e seja feliz: encontre prazer no dever

Nunca dei tanta atenção à importância de me divertir ao longo do trabalho e da jornada de desenvolvimento. Mas a verdade é que, para dar o seu melhor e ter bom desempenho, é importante se sentir feliz. Encontre o que te faz feliz e trabalhe duro. Se você não acorda energizado e excitado com as possibilidades e desafios que o dia poderá lhe oferecer, então você está no trabalho errado.

Essas são apenas algumas das coisas que venho aprendendo por aqui na Arpex. Sou muito nova e sei que ainda há um montão de coisas para conhecer pela frente, a cada dia, com cada missão e cada pessoa que estiver no meu caminho. Nunca me sinto completamente pronta e confortável com o que sei e isso só me faz correr ainda mais atrás e estudar o tempo todo. É difícil, mas, como disse, não há aprendizado sem dor e nem conquista sem esforço.

Por Carol Lafuente

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.