Um Montevideo #1: o frio

Esse ano o frio em Montevideo tá demorando em passar. Na verdade, o frio é um fator constante por aqui. Depois de mais de dois anos vivendo no Uruguai, estou acostumada a dizer que aqui existem os 3 meses de verão e os outros 9 são inverno. Outono e primavera? Fachada. Eufemismo. Sonho meu…

É preciso fazer um parênteses e explicar que eu não gosto muito do frio. Um clima geladinho é bom pra comer bobagens gordas e dormir, mas fora isso o frio só machuca. Dói, deixa a pele quebradiça, o nariz escorrendo, a garganta dolorida. Mas então, por causa das ironias dessa vida, esse ano o Todo Poderoso resolveu enviar um dos frios mais ferrados dos últimos 20 anos do paisito. Ou seja, frio + o vento infinito de Montevideo, todos experimentamos uma sensação térmica bastante negativa (literalmente). 2016 foi um ano congelado.

Foi difícil. Em junho, dentro de casa saia fumaça da boca quando a gente falava. Em julho, algumas noites eu chorava de raiva e frustração porque não conseguia dormir, porque minhas extremidades já normalmente frias estavam congeladas. Em setembro, aprendi a amar as bolsas de água quente, os diferentes estilos de cachecol e os chás escaldantes.

Agora, tá mais fácil. Já é outubro né, benza Deus. Mas ainda não tem muito calor primaveral não, isso eu te asseguro. As pessoas estão traumatizadas e mesmo nos dias mais quentinhos saem de casa de bota, casaco e cachecol. Por que né. O jogo pode virar. A própria natureza se está acostumando à mudança de estação. Tem dias bastante amenos e nem precisamos ligar o aquecedor. Mas, quando você pensa “graças aos céus, o calor está chegando!”, no dia seguinte vem uma tempestade, o céu fica cinza, as ruas geladas e o casaco volta a sair do armário. Tá pensando que aqui é bagunça, que o calor vem assim como quiser, na hora que quiser? Não senhor, vamos organizar as coisas e mostrar que é friozin que manda. Ou você acha que morar na ponta do continente é pra qualquer um?

Exercitando a garra charrúa, aqui vamos! Aprendendo novos motivos pra se aquecer mesmo nos dias mais gelados.