Borbotões

Façam por amá-la.

Amem-no.

O princípio é único,

Paroxítono.

Vão vivê-los,

Mesmo estando em luto

Estando frios.

- É amá-los.

São brotos de flores.

São grãos.

Borbotões.

Diferem.

Estão exaustos

Meus fios brancos,

Minha testa densa.

Um canto de olhar

No baixio.

Afogado em algas,

Fulgidio.

Seja no indulto de natal

Indulto de terça-feira,

Abrace-os.

São meus braços desalentos

São feridas inacabadas

São destratos em clausura.

Por favor,

Abra-os.

Entardece,

E é noite.

O tempo proparoxítono,

Me impele.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Regina Dias’s story.