A solidão do Home Office e o ‘pré conceito’

Admito que trabalhar em casa, com o seu próprio negócio é um enorme desafio. Primeiro, porque você é quem tem que ir atrás de absolutamente tudo. Ao mesmo tempo que, para mim, isso tudo é super prazeroso, pois estou trabalhando em projetos meus!

Porém, houveram dois detalhes que nem imaginei encarar, logo que comecei: o primeiro, a solidão de trabalhar em casa e segundo, o ‘pré conceito’ das pessoas.

Sobre a solidão: atualmente, consigo lidar muito bem com o trabalhar sozinha ao longo de todo o dia, mas no início foi algo muito difícil. Por mais que eu trabalhasse muito nas outras empresas, eu estava cercada de pessoas, sempre havia uma brincadeira ou um comentário a ser ouvido ou compartilhado. Mesmo com todos os atendimentos de coaching e reuniões que eu tenha, não são colegas de trabalho com quem eu posso dividir detalhes de cada projeto que tenho desenvolvido.

Mas você não pode fazer isso com o marido?

Até tentei fazer isso por um tempo, mas por mais que ele torça e me apoie totalmente, percebi que não dá certo. Ele é super comprometido com o trabalho dele, então trabalha demais a semana inteira. Imagina, então, chegar em casa e ainda ficar ouvindo todos os detalhes dos meus projetos? O tempo que temos, resolvi que seria um tempo mais voltado para nós. E a relação, assim, melhorou muito.

E com relação ao ‘pré conceito’: com quem tenho conversado a respeito e também trabalham em casa, até que não ouço tantos absurdos, mas mesmo trabalhando (e muito) desde o ano passado, ouvi os seguintes comentários…

“Você não tem que se preocupar com as segundas mais, né? Você não está trabalhando”

“Tem uma vaga na área Financeira em tal empresa. Acho que você deveria ir”

“Você deveria prestar concurso público”

“Você não deve ter preocupação nenhuma mais trabalhando de casa agora”

Hoje, ouço com bem menos frequência, mas ainda há alguns comentários do tipo. Penso que as pessoas devem imaginar que home office seja representado pelo combo acordar depois do meio dia + sofá + pijama + pipoca + TV.

Mas depois fiz uma reflexão, lembrando de outras situações quando eu trabalhava nas outras empresas e percebi que o brasileiro ainda está longe de estar pronto para encarar essa realidade do Home Office. Não apenas por não considera-lo como um trabalho ‘registrado e remunerado’, mas também porque muita gente ainda não sabe como se organizar, ser produtivo e lidar com essa solidão do trabalho em casa.

Há um longo e desafiador caminho a ser percorrido, mas posso dizer com certeza que Home Office será a opção mais saudável e viável num futuro próximo. Isso até para grandes corporações e principalmente, em grandes metrópoles.

Hoje, já adaptada a esta realidade, percebo como o Home Office melhorou muito a minha qualidade de vida, a minha criação, foco e produtividade. Imagina quando o brasileiro, num geral, aceitar isso?

*Sou Coach de Organização e Produtividade, Orientadora Financeira, Blogueira e Palestrante. Se quiser acompanhar mais o meu trabalho, acesse https://rejaneakemi.com.br/ e http://www.aqueleblog.com.br/.