Deixe acontecer

Ele me disse para deixar acontecer. Mesmo com o futuro incerto e distante eu decidi ir, um poeta reviveu, a esperança de algo bom parece não trazer mais o medo do acaso, então me ponho novamente a escrever. Já provei do teu veneno que me matou diversas vezes, e que agora me parece doce como bala de caramelo, me pergunto se é o certo a se fazer, ou se a solidão de um poeta triste seria mais belo. Independente da escolha dei um suspiro de alívio, antes, me veio a surpresa de um dia que acabou bem, seria o meu bem, que o futuro o trouxera para mostrar que tudo havia sentido?! Ainda é cedo mas já é noite, e em silêncio eu vou mantendo a inocência de uma criança que tudo acabará bem, se o futuro deseja, que seja pro bem, mas se o mal vier que me faça mais uma vez dormir ou sumir. Não temas sei que ainda é cedo, mas ao ouvir as palavras decifrei que poderia ousar em escrever, que sou um poeta que voltou a crer no futuro, basta você reler e ver, que no passado chorei não por tua culpa, mas por ter ido com cede ao pote que pra mim era vazio, e se continuas assim, peço que digas a verdade, ou preencha minha vida enfim.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Renalli Barros’s story.