Sobre crowdfunding, hambúrgueres e a geração mimimi…

Muitos aqui certamente já ouviram falar sobre crowdfunding, modalidade de investimento em que diversas pessoas podem apoiar financeiramente algum projeto e recebem em troca alguns prêmios, que normalmente são bem pensados para fazer jus ao dinheiro recebido. Entre os projetos tem de tudo, do Cooler mais legal do mundo à campanha para pagar os voos de avião da Dilma…pois é, nem tudo são flores e nem só de ideias e projetos incríveis vive o crowdfunding. E nem o empreendedorismo. E nem a vida. Temos dias sensacionais e dias bem merda, mas e daí? O que importa é que os dias sensacionais fazem todo o resto valer a pena.

Leo Young, vencedor da ultima edição do Masterchef e Bel Pesce, que dispensa apresentações, se juntaram a mais um sócio e decidiram abrir um hamburgueria. Seria uma noticia pra lá de normal que apareceria em alguma página estilo G1 e UOL e no máximo alguém faria uma matéria comentado sobre o “multi facetismo” da Bel. Até imagino o título: “Do Vale do Silício para o hambúrguer gourmet: como empreendedores enxergam além”. Seria mais uma noticia no meio de tantas outras, mas eles decidiram financiar o projeto através do crowdfunding, ou seja, recebendo dinheiro de pessoas interessadas em troca de prêmios. Não continua tendo nada de mais, né? Sqn.

Nada fica imune à geração mimimi. Para essa turma, não existe nada que não possa ser reclamado, independente do fato daquilo não te afetar em nada, absolutamente em nada! O fato do trio ter optado pelo modelo de crowdfunding, virou motivo de criticas absurdas, ameaças de boicote já antes do lançamento e diversos comentários aos idealizadores, que foram de oportunistas à amadores e vários outros adjetivos que em nada refletem a realidade. Não gostou da ideia, achou absurdo ou desnecessário, é só não fazer nada. Simples assim. Se todo mundo achar a ideia uma bosta, ninguém (ou quase ninguém)vai financiar o projeto e com isso ele deixa de existir. Simples assim. Essa é a beleza do livre mercado, você não é obrigado à investir, ninguém recolheu imposto para a criação da hamburgueria, você simplesmente escolhe se quer apoiar a ideia ou não, se os prêmios são relevantes ou não e investe o seu dinheiro. E fim de papo.

Empreender no Brasil está longe de ser ambição da grande maioria e aqueles que vão em frente sabem bem o quão difícil é, mas nem por isso desistem, encontram maneiras de prosperar e o que difere bons empreendedores do resto, é que eles tem em mente que no final do dia quem escolhe se você vai ser bem sucedido ou não, não é o teu ppt maravilhoso, não é o sobrenome do teu pai, mas sim o bom e velho mercado. Dele meus amigos, nada escapa.

Fiz um curso de apresentação recentemente e aprendi a sempre fechar discursos com frase que provoque reflexão: “Dinheiro é igual cú, cada um dá pra quem quer”.