Paixão Desconhecida

Independente de minhas vontades, minha infância passava por jogar futebol com os amigos em qualquer hora do dia. Porém, naquele verão quente de 2004, ao passar minhas férias inteiras na praia, descobri uma paixão por algo desconhecido. Da janela do apartamento, avistava crianças de mesma idade ou quase sempre mais velhas que eu, fazendo algo diferente.

Perguntava aos meus pais do que se tratava? Nenhum sabia me dizer o que se passava lá fora. Assim como para mim, tratava-se de uma novidade para eles também. O som daquela bolinha de borracha sendo alvo de tacadas pouco compreendidas por mim e alguns gritos de felicidade e diversão me fizeram descobrir uma paixão por um jogo chamado popularmente de taco.

Nem sempre o objetivo precisava ser a vitória, mas sim a diversão e alegria de poder desfrutar de novas amizades e estender laços com os amigos de longa data. Ao sentir o prazer de conhecer um esporte novo, fui percebendo que nem sempre é preciso vencer para ser feliz no esporte.

Vencer era apenas um detalhe. A competição faz de nós um amante pelo esporte e nos faz entender mais sobre, porém, apenas o prazer te faz ir além.

O sabor do jogo não está necessariamente na vitória, mas na alegria de desfrutar o momento.
Like what you read? Give Renan Vilaverde a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.