Qual o Sentido da vida e da Morte?

O sentido da vida e da morte é em um questionamento filosófico acerca do propósito da existência humana. Desde dos primórdios das civilizações, o homem tenta por meio racional, emocional e religioso, descobrir e entender o que nos leva a viver e o porquê de morrer.

Para responder a essas inquietações sobre a vida, chamamos a, Coordenadora do curso de Psicologia da Faculdade UNIFAMMA, Gisele Mascagna. Para Gisele: “o sentido da vida é o desenvolvimento humano mais próximo da integridade, mais próximo do homem integral; o que isso quer dizer, quer dizer que para mim nós estamos vivendo para nos desenvolvermos para chegar ao melhor, ao desenvolvimento melhor, e isso só é possível com a relação com outras pessoas que é o mais difícil”, completa.

O Professor Mestre em Ciências Sociais da Faculdade UNIFAMMA, Tiago Roberto Ramos. Ele acredita “que o sentido da vida é a busca por qualquer salvação do vazio. É o exercício cotidiano de dotar o nada de alguma segurança (mesmo que frágil) para manter em movimento uma consciência sobre o estar aqui que se sustenta por si mesma”.

Gisele afirma que morremos, para nascer de novo, “ é que tudo tem que ter um ciclo e todo ciclo tem que ter começo, meio e fim; nós precisamos de um fim para poder reiniciar de novo, como todo ciclo. Então a morte o sentido dela é um sentido totalmente positivo” conta Gisele. Enquanto Tiago, acredita que a morte vem para que possamos nos transformar“, A morte é um deixar de existir que nunca cessa. Tudo morre o tempo todo também. Mas gosto de pensar que o sentido da morte é promover a transformação. Primeiro evita a eternidade (que tudo permaneça como está) e, em segundo, abre caminho para o novo (que as coisas possam ser sempre outras) ”.

Mas se tem uma coisa que os dois concordam é que a vida e a morte, não passa de um ciclo vida-morte-vida. E que cada um atribui um sentido para a vida e para morte de acordo com o que acredita, por meio do que foi adquirido na infância.

Mas se tem uma coisa que os dois concordam é que a vida e a morte, não passa de um ciclo vida-morte-vida. E que cada um atribui um sentido para a vida e para morte de acordo com o que acredita, por meio do que foi adquirido na infância.