AMBIVALENTLY YOURS.

agridoce

se esforce 
esboce
um sorriso doce
quem dera se fosse
como tomar posse
é tão fácil esboçar autoridade em mim mesma de uma forma precoce
embora minha utopia seja sobre independência
aqui onde meus pés tocam o chão eu sou acúmulo de pendência 
um espécime da ambivalência
a g r i d o c e
nem oito, nem oitenta
eu sou 50
por cento
eu sou um objeto lapidado em fase de acabamento
eu sou um momento entre estática e movimento
carrego no nome o ato do renascimento
nem calmaria, nem tempestade, sou o suspiro do vento
projeto-me como inteira, eu quero ser totalidade
mas tudo o que eu sou é o exato devaneio entre ilusão e realidade
estou na metade do caminho
sou uma reta com sutil desalinho
por um fio, a bissetriz
eu sou quase, praticamente, por um triz
eu sou o amargo do mar e também a doçura de navegar
s i m u l t a n e a m e n t e 
eu sou doce, sinestesia, calmaria, poesia
mas eu sou amarga, um ser halógeno, incandescente, melancolia
tô na média, quase a medida, na metade e o meu tempo é sempre curto
e as dúvidas só aumentam a complexidade da minha existência 
espécime da ambivalência 
quem dera se eu não fosse
tão, tão, tão
a g r i d o c e