LETTERS LOVE FOR UNKNOWN LOVE

Eu ando cansada da grande existência
Do despertar da consciência
Tão necessário levantar do estado de dormência
E despir o corpo e a mente da inocência
Chegar ao extremo de qualquer abstinência
Esperando em latência
Qualquer avanço da ciência

Mas os artigos só falam de amor
Os documentários expressam dor incolor
E eles ainda procuram um vencedor

Veja só querido amor que eu ainda não conheci
Meu corpo está ficando velho
Minha mente está tão sobrecarregada de fragmentos e informações
Todo dia minha face é uma nova aparição
As conexões dentro da minha cabeça estão ficando cada vez mais complexas
E as voltas ao redor do universo se tornaram mais completas

Sobretudo
Eu não espero mais notícias na TV
Mas eu não desisti dos porquês
Eu ainda me perco em introspecções a procura do meu ser
Eu ainda espero por você

Quem é você que vem até minha mente quando eu estou inconsciente?
Quem é você que dispara arritmias e eu não o vejo?
Quem é você que num beijo tridimensional, desmistifica meus desejos?
Quem é você que desalinha todas as minhas linhas tênues?

Quem é você que desajusta meus movimentos?
Me puxa para dentro de uma quarta dimensão
Eu sinto o tempo
Atravessando
Todas
As veias do meu coração
Enquanto a superfície da minha pele muda de textura
Você me segura
Da queda de um infinito profundo
Por um milésimo de segundo
O mundo inteiro se torna incalculável

Só percebo que você está quando eu não estou
Quando eu não estou atenta ao mundo do lado de fora
Quando não existe ontem e agora
Quando os relógios são incapazes de contar mais uma hora
E quando eu me distraio e caio para dentro das irregularidades do seu sistema incompreensível
Você parece sensível
Suscetível a um colapso
Capaz de desintegrar todo o meu cansaço
Tão bonito e tão distante
Intocável, brando e tão infinito
E por um instante minha consciência quase esquece que você não existe
Eu volto tão triste
Para a realidade
E você permanece dentro de parênteses no espaço-tempo
Você permanece atento
A qualquer ensejo de possibilidade

Quando o tempo se dobrar ao meio
E você puder atravessar as linhas do universo
Quando os cálculos não forem mais controversos
Você vai se desprender no tempo, disperso
Você vai despertar de todos esses versos