Devaneios noturnos pós dia de merda

Eu não sei o que escrever aqui. Não sei nem se é um bom dia para começar. Sou dessas que cria o cenário perfeito na cabeça e, enquanto não conseguir viver esse cenário hipotético em toda a sua plenitude, simplesmente vai deixando para depois. E aí não se vive. E não se escreve.

Mas hoje eu não serei essa pessoa. Eu não vou adiar. Eu não vou cobrar de mim mesma a perfeição. Essa sou eu. E eu devo (E QUERO) me aceitar dessa forma. E é isso.

Esse foi o primeiro passo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.