O medo de seguir em frente

Esses dias eu parei para refletir sobre situações que ando presenciando e cheguei a alguns pensamentos que gostaria de compartilhar com vocês.

Tenho uma amiga que foi deixada pelo namorado com a desculpa mais esfarrapada que se pode haver, ela não só sofreu muito na época como ainda sofre até hoje. E aí, acompanhando esse sofrimento que já dura mais de 3 meses, eu percebi que por mais que eu ou qualquer outra amiga chegue e diga “Garota, ele não te merece, basta! Segue a vida!!” ela não consegue seguir.

Prefere ficar se agarrando aos detalhes, ao joguinho que ele faz com ela, aos “amigos” que chegam e falam do que ele anda espalhando do que se agarrar nela mesma e na confiança que ela precisa ter pra sair dessa.

E é aí, que eu vejo o X da questão. Qual o problema que as pessoas tem de seguir em frente? É tão impossível assim para algumas pessoas??

Eu, com meus 22 anos, já precisei seguir em frente várias vezes, abandonar coisas que amava, que me movia, mas que em algum momento deixaram de me fazer bem. Eu consegui entender isso e abrir mão para que eu pudesse seguir em frente. Eu sei que não é fácil, mas não chega a ser impossível.

Porém, porque escolher sofrer em vez de seguir em frente? Eu digo escolher, porque isso, como qualquer outra coisa na vida, é você que decide. Eu decido escolher seguir em frente ou não. Eu escolho. Eu decido.

Só que escolhas e decisões assim são só para pessoas de “cabeça forte” como diz minha sábia vó. E o que faz alguém ter “cabeça forte” é a ausência do medo, não completa, mas suficiente para escolher/decidir.

E foi a essa conclusão que cheguei olhando a situação da minha amiga. Ela tem medo, medo de seguir em frente e não ter as coisas que teve por tanto tempo, medo das mudanças, medo das novidades, medo do que a vida pode lhe oferecer; o medo é tão grande que prende ela a ilusão de que é preciso sofrer, chorar, sofrer e viver nesse ciclo sem fim.

Sofrer é bom, as vezes é preciso, mas somente quando você sabe se permitir a dose do sofrimento, porque quando você não sabe e nem está disposta a aprender, você se vicia e não consegue largar e o sofrimento vira eterno.

A sua vida não anda, as coisas não mudam e o ciclo só se fortalece.

As pessoas deveriam viver sem medo de se permitirem sair da sua zona de conforto e serem felizes, e entenderem que a enxergar a luz no fim do túnel é uma tarefa que depende somente das nossas escolhas.

Escolha seguir em frente, independente do que você vai encontrar.

Escolha. Decida. Siga.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Renata Santos’s story.