“Sentir com inteligência,
Pensar com emoção!”

Eu não sou nenhum expert em política, apenas me interesso um pouco e tento fazer minha parte. Mesmo que alguns me chamem de tonto, ou besta, ou idiota.

Pois bem, eu havia comentado, em algumas redes sociais, sobre o “sentimento de coitadinho” que o brasileiro costuma ter. Ele tem o costume de sempre ir para o mais fraco, achar que as pessoas são coitadas e deixar a emoção aflorar além da razão.

O motivo de eu ter dito isso foi depois do acidente do candidato Eduardo Campos. Até então cogitáva-se Marina Silva (sua vice) como possível candidata no seu lugar. Ok, concordo que nada mais justo. Mas ai vem esse sentimento. Eu havia citado que poderia acontecer isso e que ela receberia muitas intenções de votos por conta disso. Pareceu meio besta a princípio, mas não é que a primeira pesquisa após o acidente ela não aparece em segundo lugar? Como explicar isso? Na outra eleição que ela era candidata desde o ínicio isso não ocorreu. Então o povo resolve mudar assim, do nada? Não estou dizendo que ela merece ou não. Estou apenas tentando entender a lógica desse povo para escolher seus governantes.

Eduardo Campos, até então, ficava em terceiro lugar, e o máximo que poderia fazer era escolher alguém para apoiar no segundo turno (para mim a eleição deveria ter apenas um turno, mas isso não vem ao caso agora). E de um dia para o outro sua vice herda sua vaga e chega em segundo?

Sei que há muita coisa que não sabemos, muita coisa mesmo que fica entre quatro paredes ou em papéis que nunca leremos. Mas fazer as coisas assim, “de supetão” é algo que eu não acho interessante. Não é uma eleição de condomínio ou grêmio escolhar, é algo bem mais sério.

Agora cogita-se “todos contra Dilma” no segundo turno. Até onde isso é bom, até onde não é? Nosso sistema político é complicado e tendencioso. E as pessoas não estão nem ai para entender. E não querem. Muitos ainda acham que votando branco ou nulo estão fazendo algo de útil, estão protestando. E quando você explica algo do tipo eles ficam com aquela cara de caneca ganhada no amigo secreto.

Vamos analisar com calma, ainda dá tempo. É complicado separar a emoção da razão, mas temos que fazer. Para o bem de uma nação.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Renato Zanotte’s story.