Por que motivação não funciona?

Como se manter motivado? Essa é uma pergunta que me fiz por muito tempo, principalmente quando tinha que fazer coisas que não me davam prazer imediato.

Demorou muito mas, depois de tanta busca por motivação para coisas como academia, trabalho e estudos percebi que essa busca é uma grande cilada. Motivação é uma grande mentira. E eu vou explicar aqui porque.

Sobre a busca do prazer imediato

Nosso cérebro é uma maquina excepcional. Mas ao contrário do que muita gente pensa, ela não funciona pautada em valores racionais. Nosso cérebro é totalmente emocional. Existe nele uma parte que emula racionalidade, mas você ficaria surpreso ao perceber o quão pouco nossas escolhas são realmente racionais.

Uma das coisas mais engraçadas que ele faz é evitar a todo custo ações que não nos deem prazer imediato ou que gerem custo energético. Tão burro quanto isso. Nossa, e como ele faz isso bem. É aquele momento em que chegou a hora de ir na academia e você hesita. O sentimento está lá: “não vá, não vá”. Você preenche esse sentimento com uma narrativa: “ah, estou muito cansado hoje, amanhã eu vou e me dedico o dobro”. E você se sente bem com isso. E não vai. Esse é nosso cérebro, hedonista de carteirinha. Esse processo faz muito sentido em termos biológicos, mas deu para ver como ele é relativamente ruim para nos induzir a fazer coisas que nos dão vantagens a longo prazo, em detrimento do curto prazo. Imagine como este fato se intensifica em um mundo inundado por tantos prazeres imediatos para concorrer (as redes sociais, o açúcar, a cama quentinha), associados a um senso comum contemporâneo e questionável de que “eu mereço ser feliz”, “eu mereço os prazeres da vida”, “eu não devo fazer nada que não me faça feliz”.

Quem já leu sobre procrastinação também já sabe de como nosso cérebro nos recompensa com dopanima (prazer) cada vez que adiamos fazer algo que não seja exatamente prazeroso. E esse efeito amplifica nossa percepção de quão ruim é realizar aquela tarefa, nos fazendo imaginar que ela é muito pior do que parece. Quem já não ficou evitando fazer algo e quando finalmente fez pensou: "Nossa, até que não foi tão ruim fazer isso. Até gostei."

É aí que entra a motivação: uma tentativa de associar um prazer imediato a alguma ação. Então fica mais fácil vencer esse instinto. É assistir aquele vídeo do seu ídolo com os resultados que você quer, e você “cria” um prazer momentâneo, fresquinho de dentro da cartola. É ouvir de alguém que você tem uma “força escondida” ou um talento inexplorado que vai eclodir e impressionar o mundo. Vou ser famoso e admirado! É prometer a si mesmo um presente, aquele tão desejado, se conseguir terminar uma tarefa. Prazeres novinhos, e vamos ser felizes para sempre.

Mas mesmo assim, a grande maioria das pessoas não conseguem atingir as coisas que desejam por simples “falta de motivação”. O que esta acontecendo?

Por que motivação não funciona?

Não sou contra a motivação, mas ela é inconstante demais para ser levada a sério. Ela flutua. Ela vem e vai. Ela é um sentimento como todos os outros, você acorda com, você acorda sem. Um dia você tem um pensamento diferente e ela vai embora, pega um barco que nunca mais volta. Bye Bye.

E a gente fica frustrado, achando nos falta alguma coisa. Alguma vontade que deveria estar lá, alguma energia que a gente inveja que exista nas outras pessoas.

Só tem um jeito de vencer essa batalha. Não batalhar. Se você lutar, você perde. Não brigue com seu cérebro, apenas ignore-o. Não busque motivação, pois ela vai te trair. Um dia ela não estará mais lá, sem deixar nenhuma carta. Vá e faça o que deve fazer, simplesmente isso. Sem aquele pensamento implícito mimado de que “tudo que eu faço tem que me dar prazer”.

Você não vai trabalhar todo dia? Tendo motivação ou não, você vai. Faça o que tem que ser feito. Ponto final. No momento que chegar a hesitação, simplesmente ignore-a. Não deixe espaço para seu cérebro te convencer de algo que você sabe que não é a melhor escolha. Esforço só se torna um peso insuportável se você acha que você merece não fazer esforço nenhum. Você não merece. Você é igual a todos os outros, há coisas que simplesmente você deve fazer.

Então prazeres imediatos são coisas ruins?

Eu seria muito hipócrita se acreditasse nisso. Logo eu. O problema das pessoas que se esforçam muito para tudo é acreditar que o que não tem esforço é algo de menor valor. Isso é mentira. O segredo em minha opinião é saber exatamente as coisas para as quais você deve se esforçar. As que valem a pena sacrificar o curtíssimo prazo pelo longo prazo.

A maioria das conquistas importantes na vida, e acho que isso se aplica a maioria das pessoas, são frutos de esforços de longo prazo. Doze horas diárias de estudo pré-vestibular, coerência financeira, academia com regularidade, uma alimentação minimamente não destrutível, ou pequenos esforços para ajudar as pessoas que a gente ama são exemplos claros de coisas que obviamente se pagam e rendem muitos frutos na nossa vida.

Outras, são esforços vazios dos esforçados de plantão. Como eu sempre digo para quem me pergunta porque eu tento comer de forma equilibrada: porque assim eu fico livre para comer o que eu quiser. Escolha as coisas que realmente importa, não busque motivação, apenas faça; e viva intensamente todo o resto.