Erro 155: Democracia não encontrada

“person holding a white Error 155 signage” by Randy Colas on Unsplash
A luta não será contra um partido ou outro, mas sim contra a série de retrocessos que estão prestes a assassinar nossa tão maravilhosa Constituição, que por sinal é muito falada, pouco lida, e menos ainda aplicada.

Uma Andorinha só não faz verão, ou pelo menos é assim que diz o ditado.
Por isso, com toda essa atenção voltada para o candidato eleito Jair Bolsonaro, resolvi fazer uma avaliação diferente, e distante desse verdadeiro drama que estamos vivendo no nosso país em 2018.

Sabemos que um presidente não governa sozinho, e no final das contas quem manda é o Congresso Nacional. Por isso, com o resultado das eleições definido, decidi agregar informações do Tribunal Superior Eleitoral sobre todos os Cargos e Candidatos eleitos no Primeiro e Segundo Turno para criar um verdadeiro panorama de como será nosso Congresso em 2019.

Como já percebi que os eleitores do Bolsonaro não entendem muito de Política e são facilmente manipuláveis, decidi redigir este artigo para os críticos, que não estão abraçando nem partidos, e nem candidatos.

No gráfico abaixo, vocês podem ver que apesar da vitória matemática do Candidato do PSL, o PT ainda lidera a representação na Câmara com 63 cadeiras, versus 59 do PSL.
No total, temos 593 cadeiras, sendo 38% de representação de candidatos de direita e apenas 32% da representação de partidos auto-definidos de Esquerda.


Se você considerar o panorama pela Ideologia Política Simplificada, onde assumimos que Centro-* partidos são apenas partidos de Centro disfarçados, é fácil perceber que a Direita e o Conservadorismo desses partidos ainda é grande maioria na Câmara, e a Vitória de Jair Bolsonaro é apenas um reflexo dessa realidade.

Além disso, também é um reflexo claro do sistema político atual, que (graças a deus) obriga partidos de uma ideologia a dialogarem com ideologias extremamente opostas, e que acaba por um movimento até natural trazendo os extremos para um viés de centro.

Tenho certeza que essa análise é bastante enviesada porque considera apenas a soma aritmética das cadeiras e votos de todos as Categorias de Votação, mas se pudéssemos fazer uma avaliação Regional, veríamos que essa Tendencia justamente se inverte em algumas regiões. (a exemplo da Fátima Bezerra do PT, que obteve 89% dos votos no Rio Grande do Norte)


Já avaliando o cenário por Ideologia de Manifesto Político de cada partido, a representação da Esquerda é maioria no Congresso, representando 61% comparada com as outras categorias.

O “liberalismo econômico” e estatal não foram considerados nessa pesquisa, mas foram influencia para delimitar a Ideologia Partidária.

Por fim, temos a distribuição das cadeiras por Categoria e por Partido.


Por fim, posso dizer que apesar de mais da metade do Brasil ter eleito um candidato Fascista, que repudia minorias e equilíbrios sociais, a Câmara ainda está ai, e só pode aprovar decretos e leis através de votos e quando a maioria das cadeiras** se faz representada.

Portanto, não esqueçam de seus outros candidatos que foram eleitos, e que a verdadeira briga começa em 2019, onde a luta não será contra um partido ou outro, mas sim contra a série de retrocessos que estão prestes a assassinar nossa tão maravilhosa Constituição, que por sinal é muito falada, pouco lida, e menos ainda aplicada.

Beijos no seu coração, se você que estiver lendo ainda tiver um.

Fontes: