Você é um Parasita Social e não sabe disso.

vincentvanhoof.deviantart.com

Você com certeza já vivenciou o que eu estou prestes a descrever. 
Estamos falando daquela pessoa que nunca te vem com boas notícias. 
Quando ela fala com você, ela está sempre pedindo alguma coisa, sempre consumindo você, sem nunca entregar nada em troca.
Esse é o Parasita Social.
O Parasita social não é seu amigo/colega, ele apenas finge ser, só pra estar dentro de um rank que dê a ele a liberdade poética de consumir sua energia vital sempre que ele precisar.

Ele pode até não ser uma pessoa egoísta em outros momentos da vida dele, mas nesse momento, em que ele está no mesmo ambiente que você, ele se transforma nessa figura oculta e egoísta, se preparando mentalmente para a próxima situação onde ele agirá novamente.
Muitas vezes o parasita social não precisa te pedir alguma coisa, ele só precisa que você esteja lá, justificando a presença dele, ele depende que você seja o coadjuvante do filme dele, ele usa a sua sub-existencialidade para se promover socialmente, extraindo sua energia até que não reste nada de você.

Com certeza você já deve ter ouvido as reclamações do Robin sobre sub-existencialidade

As vezes eles não tem culpa. As vezes as pessoas se tornam Parasitas Sociais por necessidade. Elas não tem escolha, elas dependem de você para algumas coisas e precisam da sua proximidade para isso.
É normal, nem sempre elas se orgulham de estar nesse estado, talvez você mesmo tenha estado nessa situação por diversas vezes.
É importante entender essa diferença para esclarecermos aqui que o Parasita Social não é um tipo de pessoa, permanentemente, de forma definida, mas sim um estado, uma condição temporária, que pode ou não se estender baseado nas atitudes da pessoa.

Por isso, não se iluda, Parasitas Sociais também podem ser pessoas do bem.
São pessoas que se importam com a vida humana, e se preocupam com como você vai se sentir com cada palavra e cada atitude que ela vai direcionar a você.
Os Parasitas ocasionais são incrívelmente empáticos.
E além disso, você pode facilmente identificar eles, digo, instintivamente. 
A diferença deles para o primeiro grupo, é porque em algum momento eles já gastaram alguma energia da vida deles pra retribuir a condição parasitária deles sobre você.

Resultado de imagem para empathy
Aham

Mas em alguns casos, mais raros, existem Parasitas Crônicos que simplesmente não se importam com você. Eles aprenderam a viver nessa condição, e já deixaram de fazer a auto-avaliação pra entender o impacto das suas ações nos amiguinhos.
Se você morresse hoje, você poderia inclusive afirmar que eles não estariam no seu enterro.
Alias, nem precisamos ir tão longe, eles não estariam em qualquer ocasião importante da sua vida. Porque eles não precisam, você não é nada para eles. 
Você é só mais uma ferramenta na gaveta deles, e eles apenas vão usá-lo quando for preciso.

Parasitas Sociais são manipuladores sociais extremamente habilidosos

E eu sei, nós vivemos em um mundo complicado. Falamos de cidades que se expandiram muito rapidamente, e que hoje tem populações que superam a de Países inteiros! 
Eu vivo em São Paulo, que por si só, está entre as 10 maiores maiores cidades do Planeta. Imagine só!
E aqui, assim como em muitas outras cidades do mundo, tudo é muito individualizado.
Nós aprendemos desde criança que não podemos aceitar comidas e bebidas de estranho, que devemos sempre tomar cuidado ao sair a rua a noite, e sempre tem aquele velho ditado inconsciente que diz: “Você só deve confiar na sua própria sombra.”
Havia também aquele velho hábito que os seus avós algum dia devem ter te contado, de que as pessoas passavam na rua, e te davam bom dia, e que você conhecia seus vizinhos, e interagia com eles, e que as crianças podiam brincar na sua, sem serem repreendidas.
Tudo isso hoje em dia, é muito menos comum.

Tudo ficou mais difícil de controlar, e é normal, porque quanto maior é o tamanho de uma coisa, mais difícil é de controla-la. 
É assim com os problemas da sua vida, é assim com seu círculo de amizade, é assim com o seu trabalho. 
Tamanho trás complexidade, e a forma como a humanidade encontrou de resolver a complexidade, é a individualidade.

Além disso, nossa sociedade, puramente capitalista, sempre nos incentiva a consumir. 
Você sabe disso, você é um desses consumidores também.
O consumo é tão frenético, que existem até datas no seu calendário criadas especificamente para você consumir! (acho que daqui a 1000 anos a Humanidade do Futuro vai ler isso aqui e vai achar esse papo bem maluco!)
O fato é, esse lance do Consumo faz com que nos tornemos, sem pensar e sem querer, pessoas super egoístas. O Consumo nos transforma em Parasitas, e eu me fucking incluo nisso!

É desse sentimento constante de individualidade e egoísmo que surge o conceito de Parasita Social.

Preocupados com o nosso Salário, preocupados com o que vamos comprar no mês que vem, ansiosos com as novidades materiais do mundo, e dai pra cima.
E tudo bem, digo, isso não vai mudar do dia pra noite, mas um certo dia veio esse estalo:

Porque eu não estou ajudando a construir o mundo que eu acredito?

Digo isso, porque recentemente eu criei uma campanha no Catarse para divulgar um projeto pessoal meu, um projeto que eu realmente acredito e quero super concretizar. Então eu comecei a me envolver mais com esse mundo do financiamento coletivo, pra entender o que as pessoas faziam e qual era o mood da galera.
E eu sempre acreditei que esse era um rolê muito mais na pegada de “pedir-dinheiro-no-farol”, do que qualquer outra coisa.
Mas então eu comecei a ver como havia uma grande quantidade de projetos que apoiam causas sociais muito iradas, e ideologias das quais eu também partilhava. (pra citar: midia ninja, pascoa invisível, e muitas outras)
Ali no meio, haviam projetos que eu mesmo, indivíduo, gostaria muito que dessem certo! E eu estava vivendo alheio a tudo isso, sem nunca ter apoiado essas coisas que eu tanto acreditava, e tanto queria para o meu mundo.

Nesse momento eu me senti um baita de um Parasita. Eu estava ali, consumindo visualmente tudo aquilo, olhando os caras precisando claramente de ajuda, e tudo que eu pensei foi:

“Ah, parece bacana, mas com certeza alguém vai vir e ajudar”

Agora me diz, que culhões eu tenho de criticar os defeitos do mundo, se eu não estou fazendo fucking-porríssima nenhuma para mudá-lo?!

Foi ai que caiu minha ficha: Estou sendo um puta Parasita Social.

Cara, nós vivemos numa época em que a informação nunca foi de tão fácil acesso para todos.
Se nós não usarmos esses recursos pra melhorar a vida dos nossos amigos e colegas, que estão próximos de nós, que nos valorizam, e que tem uma ideologia mais justa sobre a vida, então estaremos vivendo uma vida vazia e mentirosa, e contribuindo passivamente pra toda essa bosta que se encontra ai.

Você deve estar pensando: “Caramba, mas o termo Parasita é meio forte não?”
Concordo plenamente, e o intuito desse artigo é ser muito mais provocativo do que explicativo.

Então pare agora, repense suas atitudes, e se questione: 
Você está sendo um Parasita Social? Se sim, o que eu posso fazer pra começar a agir coletivamente pra mudar esse mundo?

Beijos no coração!