A imagem e as diversas interpretações que são passadas a partir da sua composição

A imagem pode ser interpretada de deferentes formas, como: enigmática, violenta, com sentido de ausência e em memoria de algo, ou seja, expressa às emoções, levando em consideração as particularidades de cada sujeito enquanto leitor de imagens. É importante ressaltar que Alberto Manguel a partir do seu livro “Lendo Imagens: uma história de amor e ódio” passa esse entendimento. 
Outro fato importante é que além de ter o intuito de mostrar essas diversas formas de ler uma imagem o autor e relata também a maneira como Pablo Picasso produzia suas obras, sempre baseado no sofrimento em que seus “figurantes” passavam.
O fato do capítulo do livro ter como tema “a imagem como violência” se dá principalmente pelo fato de Picasso não se sensibilizar com a dor do outro e de certa forma divulgar o sofrimento das pessoas violentando mais os seus personagens, como é o caso de Dora Maar que foi pintada em pranto segurando seus filhos mortos nos braços. Essa é uma imagem que violenta o protagonista da história.
No que se trata da relação entre a palestra de Celso com a obra de Manguel, pôde-se perceber algumas ligações, por exemplo, quando Celso Guimarães falou da observação, que é de suma importância que o fotografo além de ter uma visão aguçada para a fotografia deve também ter paciência e observar bem o que vai ser fotografado. Na página 207 de sua obra Alberto Manguel conta à história que Picasso estava em um bar e avista uma mulher que rapidamente passa um canivete entre os dedos da mão e acaba manchando a luva por errar e machucar os dedos, partindo para o que interessa, é o fato de Picasso ter observado o comportamento da mulher por várias horas, isso significa que Celso tem razão ao enfatizar que o fotografo tem que ser um bom observador.
Picasso geralmente produzia seus retratos baseado no sofrimento das pessoas. Em muitas de suas obras aparecem principalmente mulheres chorando ou expressando alguma dor. Tendo uma interpretação a partir do texto é perceptível que os quadros do artista talvez perpassem mais as suas emoções de tristeza do que as dos seus “personagens”, ou seja, as emoções de Picasso eram baseadas em tristeza por isso se detinha em expor a tristeza de outras pessoas.
Outro aspecto que Celso trouxe também é das emoções de quem faz a foto, que de qual quer maneira elas estarão presentes sejam elas alegrias, tristeza sofrimento, falta de algo carência e todas as formas de sentimentos e emoções que um ser humano possa sentir será passado enquanto fotografo, pois cada traço, cada ângulo, tudo que fizer parte da composição da imagem são oriundos da visão de quem faz o retrato.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.