O bispo e as enchadas

por Francisco Arten

Em 1960, Dom David Picão foi nomeado Bispo da nova Diocese de São João da Boa Vista. Em 1963, foi transferido para Santos como Bispo Coadjutor. No mesmo ano, acabou assumindo como Bispo Diocesano de Santos.

Em 1° de maio de 1962, a Igreja Catedral estava lotada por uns católicos diferentes: trabalhadores rurais, todos eles com enxadas nas mãos, batendo os cabos no piso, fazendo um barulho assustador para a elite da cidade. Era a missa em comemoração ao Dia do Trabalhador.

Naqueles anos de Guerra Fria, do mundo dividido entre capitalistas e comunistas, de radicalização política, comemorar um 1° de maio desta maneira poderia ser considerado como uma manifestação de esquerda; e as enxadas batendo no piso, um incentivo para a violência do proletariado. E foi assim mesmo que a elite da cidade passou a desconfiar que o Bispo, Dom David Picão, era um “infiltrado de Moscou”.

A instalação do Bispado em São João aconteceu em 21 de julho de 1960, sendo uma das festas mais concorridas. A cidade disputou com várias outras a honra de ser sede do Bispado. Uma vitória que teve como seu principal articulador o padre Antonio David.

E para conseguir trazer para sua cidade a Sede do Bispado, contou com a ajuda dos poderosos fazendeiros de então.

Entre outras coisas, conseguiu a doação do palacete, bem no centro da cidade, de muitas janelas e muitos quartos, que pertencia à família de Christiano Osório de Oliveira. Ali funcionou a sede do Banco de Cristhiano Osório, que garantiu à família um dos patrimônios mais sólidos do estado de São Paulo.

E não foi só a ostentosa sede do Bispado. Várias outras doações aconteceram. Entre elas, a Fazenda Cachoeira, de 400 alqueires. Local histórico, instalado pelo patrono da cidade, Joaquim José de Oliveira, e que, desde então, pertencia à família. Também sob influência do padre Antonio David, levantou-se um fundo de 2,8 milhões de cruzeiros, conseguido junto aos católicos da cidade.

Chegada
O Bispo chegou assim, com muitas expectativas e bastante festejado. Foi recebido na entrada da cidade pelos religiosos e autoridades. Havia fogos, banda musical e uma multidão que se acotovelava desde a entrada da cidade até a Avenida Dona Gertrudes, por onde o bispo passaria.

Dom David Picão sabia fazer respeitar sua autoridade, deslumbrando o povo com suas vestimentas impecáveis e largo chapéu, que evidenciavam seu poder. Circulava pelas ruas, em suas breves aparições públicas, num automóvel luxuoso, único na cidade, de tal ordem que chamava para si todas as atenções. Ao vê-lo pelas ruas, o povo interrompia as conversas para apreciá-lo. Lá ia o Bispo. Lá estava o poder.

Mas Dom David Picão não tinha o perfil esperado pelos poderosos fazendeiros, patrocinadores de sua vinda.

Logo começou a palpitar sobre a pobreza dos moradores da zona rural e as precárias condições sociais em que viviam. Enviou freiras para todos os cantos da cidade, orientando os pobres, ajudando os miseráveis, cobrando um amparo maior dos patrões. O Bispo era jovem, com pouca experiência e combativo em seus pontos de vista.

Logo começou a circular o boato de que ele era comunista, ou seja, contra os fazendeiros. Todas as suas ações faziam crer que estava alinhado com a esquerda. Cresceram assim as reclamações contra o primeiro bispo de São João e pedidos para que fosse transferido da cidade.

Talvez por isso tenha ficado tão pouco em São João, transferido que foi para Santos, onde exerceu função de Bispo até sua morte. Irônico que lá, Dom David tenha sido acusado por militantes de esquerda como bispo muito conservador.

O bispo “comunista”
Filho de Joaquim Ramos Picão e Maria da Piedade Picão, Dom David Picão estudou nos Seminários de Campinas e Central do Ipiranga. Em 1947, em Roma, terminou Teologia e estudou Direito Canônico na Pontifícia Universidade Gregoriana, recebendo o Sacramento da Ordem, em 1948.
Na Arquidiocese de Ribeirão Preto, para onde retornou em 1950, exerceu os cargos de Professor e Diretor Espiritual do Seminário Diocesano.

Em 1960, foi nomeado Bispo da nova Diocese de São João da Boa Vista, sendo ordenado no dia 31 de julho, na Catedral de Ribeirão Preto. Em 1963, foi transferido para Santos como Bispo Coadjutor, podendo ser sucedido, tomando posse em 22 de junho. Tendo Dom Idílio José Soares renunciado à Diocese, Dom David assumiu como Quarto Bispo Diocesano de Santos, em dezembro de 1966. Dom David Picão faleceu no dia 30 de abril de 2009, em Santos.