Startups de São João com alto potencial de crescimento

PERFECT FLIGHT — A startups de agronegócio foi selecionada entre 400 outras do Brasil e do exterior para participar do programa de aceleração da Pulse Hub, uma iniciativa da Raízen, em parceria com o fundo gestor de capital SP Ventures e a Nxtp. Labs.

Por Sarah Boneti

Basicamente, uma Startup significa o ato de começar algo, normalmente relacionado com companhias e empresas que estão no início de suas atividades e que buscam explorar atividades inovadoras no mercado. Empresas Startup são jovens e buscam a inovação em qualquer área ou ramo de atividade, procurando desenvolver um modelo de negócio escalável (que tem condições para crescer de forma uniforme ou para suportar um aumento de carga; e que seja repetível).

Um modelo de negócio é a forma como a empresa gera valor para os clientes. Um modelo escalável e repetível significa que, com o mesmo modelo econômico, a empresa vai atingir um grande número de clientes e gerar lucros em pouco tempo, sem haver um aumento significativo dos custos.

Partindo deste objetivo, o Mantiqueira Valley é uma comunidade de Startups que busca unir forças entre empreendedores, estudantes, professores, técnicos, analistas e entusiastas por tecnologia, em São João da Boa Vista, para auxiliar estes modelos a se estabelecerem, aumentando a chance de sucesso de novos negócios, voltados à tecnologia e inovação, oferecendo capacitação, oportunidades de negócios, captação de investimentos e inclusão de profissionais locais. A ideia de criação surgiu de iniciativas parecidas em outras cidades, como o San Pedro Valley, em Belo Horizonte e o Campinas Startups. “Nós auxiliamos empreendedores que querem constituir uma empresa escalável de base tecnológica, no caso Startup, a entender este universo. Primeiramente o empreendedor tem que aprender que ‘vida de Startup’ não é fácil, ele precisa ser focado, ágil e possuir conhecimento amplo ou uma alta capacidade de aprendizado, para conseguir estruturar o negócio e liderar uma equipe”, conta Bruno Dourado Pirajá Martins, co-fundador do Mantiqueira Valley.

Inovação
Atualmente, o Mantiqueira Valley possui 20 membros que participam dos encontros e se comunicam nos canais de contato como Whatsapp, Slack e pelo próprio site. Contam com a ajuda do SEBRAE de São João para realizar os encontros quinzenais, também mantém contato com as instituições de ensino da cidade para apresentar a iniciativa em eventos e workshops, na região. 
Segundo Bruno, uma Startup não se cria da noite para o dia ou de apenas uma boa ideia. É necessário que o empreendedor passe por certas etapas para que seu negócio tenha uma chance de sucesso. “Somos procurados principalmente por estudantes que têm uma ideia e querem tentar tirá-la do papel. A maior parte de nossas demandas vêm através do SEBRAE, que direciona empreendedores em sinergia com nossa iniciativa, para que possamos ajudá-los”, ressalta. 
 
Clube Locavore
As Startups podem ser consideradas, inevitavelmente, o futuro das relações empresariais, pois, com muito pouco esforço e com a aplicação de tecnologia de ponta, elas conseguem entregar melhores soluções e de uma forma muito mais eficiente que as empresas tradicionais. Um desses exemplos é o Clube Locavore, uma Startup sanjoanense com a missão de agregar valor à cadeia de hortifruti, garantindo excelência nas operações de compra, processamento e entrega dos produtos, até o consumidor final.

E antes da ideia se estabelecer, o maior investimento, segundo Thalles Franceschici, um dos sócios do Clube Locavore, foi os outros operadores bem empregados deixarem multinacionais pelo sonho de empreenderem e inovarem. Entre as oposições para a criação da Startup, esteve o momento de crise econômica e social e o desenvolvimento da própria plataforma. Precisava ser muito confiável, pois seria o único ambiente onde o cliente conhece os produtos, monta seu carrinho e faz o pagamento. “O maior obstáculo, como um todo, é criar um novo hábito de consumo. De forma prática e segura, nós oferecemos uma plataforma onde o cliente, com poucos cliques, compra especiarias, frutas, verduras e legumes de qualidade superior. Porém, ainda é forte o costume de ir a um supermercado ou quitanda, fazer as compras. Oferecemos mais qualidade por, muitas vezes, um preço menor”, afirma.

CLUBE LOCAVORE — O serviço é um clube de compra de legumes, frutas e verduras, já prontas para o consumo. Através do app, o cliente pode fazer o pedido e realizar o pagamento através de cartão de crédito ou débito.

Como forma de facilitar a experiência de uso e ser mais um atrativo para a Startup, os empreendedores recorrem aos aplicativos para celulares. No caso do Clube Locavore, a tela é dividida por categorias especificas dos alimentos, explica Thalles. “O aplicativo é bastante intuitivo. Dentro de cada uma destas categorias existe a lista dos respectivos produtos. O cliente monta seu carrinho, escolhe a data e local de entrega e vai para a página de pagamento. E temos um dos mais modernos sistemas de pagamento do país, feito por uma startup paulistana, onde o cliente tem a opção de pagar a cada compra ou criar um plano de assinatura, com pagamento mensal”.

Perfect Flight
A criação da Startup Perfect Flight, também localizada em São João, surgiu pensando em um sistema para facilitar o dia-a-dia do produtor. 
E ele pode ter uma visão realista das aplicações realizadas na lavoura, permitindo, assim, a tomada de decisões, baseadas em dados confiáveis. O aplicativo tem a função de gerar relatórios de análises de pulverizações, através dos arquivos de LOG dos aparelhos DGPS das aeronaves que realizam as aplicações.

O sistema foi construído em ambiente de nuvem (cloud computing), o que permite que ele seja executado em qualquer computador com acesso à internet. Além disso, oferecemos ainda um aplicativo para smartphones e tablets Android e iOS. O sistema ainda é protegido por patentes nacionais e internacionais.

Destaque
O sistema tem se mostrado tão promissor que foi selecionado, juntamente com outras quatro startups de agronegócio, para participar do programa de aceleração da Pulse Hub, uma iniciativa da companhia sucroenergética Raízen, em parceria com o fundo gestor de capital SP Ventures e a Nxtp. Labs., que avaliaram a capacidade dos empreendedores, maturidade do produto e potencial de escalabilidade no mercado, para definir as cinco mais promissoras.

O programa de aceleração deve durar entre 9 e 12 meses e contará com treinamentos, análises e mentorias realizadas por especialistas com a intenção de acelerar o crescimento e desenvolvimento das empresas, em um curto espaço de tempo.

Planejamento
O movimento de Startups é algo inteligente, já que as pessoas estão muito mais preocupadas com os benefícios oferecidos pelos serviços/produtos que compram e cada vez mais estão ligadas às novas tecnologias. “Parece simples, mas é muito difícil. O Clube Locavore, por exemplo, passou por mais de dez modelos de negócios, até chegar ao que somos hoje, ou seja, quase dois anos de planejamento”, relembra Thalles Franceschici.

Empresas médias e grandes têm muita dificuldade em mudar e se ajustar a novas demandas ou necessidades dos clientes. As Startups têm a vantagem de serem flexíveis, ligadas ao cotidiano dos clientes e não se importam em quebrar barreiras e experimentar novas soluções. Assim, o consumidor final é beneficiado com um melhor produto ou serviço, além de um melhor preço. Thalles ainda acredita que, futuramente, as Startups serão as empresas com um viés tecnológico de maior adesão. “A massa da população passa a se sentir confortável comprando produtos ou utilizando serviços de Startups. É um caminho sem volta. Startups, de modo geral, fazem duas coisas muito bem. A primeira é responder a uma pergunta difícil: se o meu serviço/produto deixar de existir, do que o meu cliente vai sentir falta? A segunda é utilizar tecnologia para entregar esse ‘valor a mais’ ao cliente”, finaliza.