AIDS — PREVENIR É PRECISO

A aids é o estágio mais avançado da doença causada pelo vírus HIV que ataca o sistema imunológico humano. Por não ter cura definitiva, é conhecida por ser a doença sexualmente transmitida mais perigosa.

Os primeiros casos de aids foram detectados em 1982, e de lá para cá, muito se mudou sobre a visão das pessoas em relação a doença. Essas mudanças só ocorreram devido às muitas campanhas de conscientização realizadas em todo o mundo. Os movimentos que buscam informar sobre as causas e tratamento da doença, ganharam tanta força, que em 1988, a Organização das Nações Unidas (ONU) juntamente com a Organização Mundial da Saúde (OMS) em Assembleia Mundial da Saúde, declarou o mês de dezembro, especificamente, o primeiro dia do mês como o de luta mundial contra a aids.

Sem ter cura definitiva, o vírus causador da doença, atinge mais de 830.000 pessoas só no Brasil, segundo dados de março de 2016 do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS). O que faz com que cada vez mais busque-se informações e novidades em tratamento.

Causada principalmente por contato sexual contaminado, o vírus diminui a capacidade do organismo de se defender em relação a pequenas doenças, degradando cada vez mais o sistema imunológico, e fazendo do paciente um refém dos medicamentos. Assista o vídeo a seguir, e entenda como é o processo de tratamento da doença.

Assim como diversas doenças sexualmente transmissíveis, a aids apresenta diferentes estágios, o que faz com que se tenha uma diferença entre o paciente portador do vírus HIV e o paciente portador da doença AIDS. No podcast a seguir, o enfermeiro coordenador do Serviço de Atendimento Especializado (SAE) de São Borja, Glauber Marques, explica essas diferenças.

A Aids é uma doença séria e que precisa de acompanhamento médico contínuo. Entretanto, diferente do que muitas pessoas pensam, o paciente soro positivo tem o direito de viver livremente como qualquer outra pessoa. E foi para garantir esse direito aos pacientes, que em 1989, em Porto Alegre, foi aprovada a Declaração dos Direitos Fundamentais da Pessoa Portadora do Vírus da Aids, que busca que atitudes preconceituosas que infelizmente ainda se fazem presentes na sociedade, sejam extintas. Como comenta no podcast a seguir, o infectologista José Volnei Pires.

O movimento de luta contra Aids busca acima de qualquer coisa, informar. É preciso que as pessoas entendam a gravidade da doença, e busquem se prevenir. Secretarias e postos de saúde possuem pontos de distribuição de camisinhas ativos. Usar preservativo durante qualquer relação sexual é o único modo de garantir que se estará seguro contra o vírus e a doença. Além disso, em caso de suspeita, mesma que mínima de contaminação, os pacientes devem procurar atendimento e realizar a testagem rápida. É preciso conscientização das pessoas, já que viver com aids é difícil, mas viver com a doença sem saber pode ser pior ainda.

Danielly Engelmann
Like what you read? Give Hello Texas a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.