O DIÁRIO DE MARIA

Desculpe te contar minha história, eu queria que fosse diferente, entenda que romper o silêncio foi muito difícil para mim, isso acontece quando se é torturada durante uma vida.

Fui sequestrada ainda bebê, afastada do meu pai, da minha mãe. Criança, vivi uma vida enclausurada, privada de convívio social, limitada de um espaço a outro em galpões escuros com raro acesso a luz do sol. Fui alimentada com antibióticos, hormônios e outras drogas conforme desejavam os sequestradores.

Quando jovem fui violada sexualmente pela primeira vez, me estupravam tantas vezes quantas queriam, até que um dia tive o meu primeiro filho desses marginais; ao dar a luz, estranhamente pude sorrir por alguns instantes, até que também sequestraram o meu filho.

Depressiva, quando achei que não havia mais como sofrer, começaram a me explorar dia após dia. Colocavam tubos de sucção em meus seios, cada vez mais feridos, roubavam o leite do meu filhote para vender à indústria, que vendia para uma família humana. Antes mesmo do meu leite secar fui estuprada novamente e assim sucessivamente até eu esgotar as condições do meu corpo.

Quando finalmente decidiram cessar com o meu sofrimento eis que me vejo em um corredor estreito, barulhento e assustador, onde tantas outras mães passavam pelo mesmo que eu. Adiante uma primeira cortina de plástico onde as câmeras não alcançavam além, em um lugar onde a sociedade jamais ouvira o meu grito.

Vamos lá, compartilhe!