PRIMEIRO ROUBAM A PRESIDÊNCIA, DEPOIS A EDUCAÇÃO, E A SEGUIR?

Baseado em fatos reais.

22 de setembro de 2016, o Governo Federal sob a tutela de Michel Temer lança a Reforma do Ensino Médio defendida pelo ministro da Educação Mendonça Filho.

A proposta exclui Artes, Educação física, Filosofia e Sociologia do Ensino Médio. Isso mesmo, você não leu errado. Arte não é importante, Educação física não é necessário, Filosofia é perda de tempo e Sociologia é irrelevante. Essa é a mensagem que estão carimbando na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

As panelas realmente foram um sucesso, a informação isenta e ilibada da mídia foi imparcial e transparente, contribuindo para um avanço acelerado que começa a irradiar a nação de incontestável ordem e progresso, o slogan perfeito para analfabetos funcionais, não aqueles carentes de Educação, mas os que se fazem assim por opção. Mas calma, não vamos nos apavorar, a Reforma Trabalhista também está a caminho.

Eles estavam predestinados. Em dois legítimos anos irão fazer o que ninguém fez em 200. A carga horária no Ensino Médio deve ser ampliada progressivamente até atingir 1,4 mil horas anuais. Atualmente, o total é de 800. Claro, a estrutura das escolas comporta facilmente esse plano, acho que eles esqueceram de mencionar que irão construir três vezes mais escolas para garantir o funcionamento dos três turnos em tempo integral. Afinal 1,5 bilhão é o suficiente para todo o país fazer a mágica acontecer.

Finalmente o Ensino Técnico será ofertado nas escolas públicas, um fator tão real quanto a infra estrutura dessas escolas equipadas com laboratórios de última geração, salas de vídeo e informática, tecnologias de ponta, bibliotecas com um acervo invejável, auditórios teatrais, entre tantas outras estruturas que permitem as disciplinas exercerem o ensino mais impactante e despertador de atenções. Esse fato impressiona as pessoas em um ambiente tão cativante que dá vontade de passar o dia ali, onde nada se assemelha a prisões, de tão livre, sem grades e com fascinante arquitetura que nos brinda o bem estar pedagógico.

Estão realmente preocupados com a posição do Brasil no mundo e aqui vai minha notícia favorita: o Inglês passa a ser obrigatório, óbvio porque todos nós aprendemos o verbo to be desde a quinta série e dominamos o familiar idioma que contém 1 parentesco em 10 famílias linguísticas com o Português, ao passo que o Espanhol possui 8 em 10. Mas ao redor do Brasil nos outros 11 países da América do Sul somente 8 falam Espanhol e eles são tão pequenos, subdesenvolvidos e geograficamente distantes do nosso país, ops! Geografia ainda está no currículo né? Ah! Que susto, porque olhar globalmente e saber que o Espanhol é a segunda língua mais falada no mundo depois do Mandarim, isso eles não sabem. Contudo, mesmo com a reforma vamos poder fazer uma determinada ênfase, o que será permitido pelos doutores da Educação desde que seja lecionado o que estiver dentro do conteúdo da tão sonhada BNCC. Sinceramente? Por que não continuar afogados nesse mar de dominação cultural, afinal de contas quem financia quer retorno ora essa! Vamos nos silenciar e aceitar a ordem.

Vamos parar de questionar e ler a bandeira, a propósito a nova grade diz que especialmente no Ensino Médio deverá se estudar a República Federativa do Brasil. Qualquer semelhança com o controle do Estado é mera coincidência seu analfabeto funcional, até porque profissionais com notório saber passarão a lecionar para o novo currículo, isso não é genial? Como não pensaram nisso antes? Quer saber? Olha que legal: vamos nos alistar nos partidos, essa nova maneira de ser empregado é muito mais justa. Vai falar que eu tô viajando? Especialmente pra Cuba né?! Petralha que devo ser, olha só a minha estrelinha de partido.

E por aí vai, censurando vestibulares a exigir apenas as áreas de conhecimento definidas na incrível Base Nacional Comum Curricular. Mas isso não é um problema, o povo controla a BNCC, que é amplamente democrática e inteligente, pensada por especialistas da Educação, por Políticos sábios e incorruptíveis que prezam pelo bem comum e o desenvolvimento intelectual de um povo que se tornará questionador e reflexivo, até porque a Base foi preparada para potencializar os jovens da nação à cientificidade e a pesquisa para vencer no mundo moderno com competência e primazia, rumo a potência mundial brasileira, onde o cidadão simples e humilde terá oportunidade de ascender ao conhecimento ilimitado.

Estou sentindo que a Educação é tão valorizada e progressiva que depois dessa já quero trabalhar 365 dias ao ano, 200 dias letivos é muito pouco, a rotina escolar não precisa de descanso, não precisa de ócio seus filósofos imprestáveis, as relações são tão sadias que quase professor nenhum adoece.

Depois dessas incríveis novidades, quem vai querer ficar de fora? O ofício de Professor é tão valorizado que gera alto interesse profissional, basta ver os jovens se dedicando incessantemente para subirem na vida para se tornarem professores milionários, quando serão invejados socialmente. Com essas mudanças já vou logo me apressar para fazer minha segunda graduação, quem sabe me especializar, fazer o mestrado, doutorado… com tanto incentivo, só um tolo para não entender a oportunidade não é mesmo?

Clique e leia a notícia da Reforma do Ensino Médio no G1

Leia mais textos meus na página inicial.

PÁGINA INICIAL