Ensinado pelo mestre chicote

Ando em círculos sem fim

no ritmo certo

no-rit-mo-cer-to

Círculos Triste

e mais círculos e cabisbaixo.

Perco o olhar no cabresto de farsas.

No dorso sensível

a desprezível sela a

Pesar

Minha cela.

Coiço os covardes

Puto, pulo, chacoalho Puto

Resisto

até não mais poder

não mais

Poder

resisto, resisto tanto

que não Existo

minguante

desfaleço.

Círculos sem fim

sem

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.