História de uma reposição hormonal:

Dia 5:

Acordei num salto, foi como se meu corpo estivesse vibrante com energia. Acordei meia hora mais cedo que o normal, deu tempo de tomar banho e tomar um café com muita calma antes de sair de casa. Mesmo um dia cinza não foi o suficiente para prejudicar o meu humor. O trabalho não poderia ter sido melhor, todos os materiais e relatórios entregues na hora, manhã super produtiva. Almocei em 15 minutos e voltei para o escritório. Fiz uma apresentação muito boa para uma reunião que os diretores terão amanhã e fui parabenizado com um sorriso pelo presidente. Fui embora a pé, no horário, num ritmo mais acelerado, foi como se eu estivesse carregado de energia, mesmo a chuva não foi o suficiente, fui para a academia, e parece que meu corpo está respondendo de fato ao tratamento, meu braço está mais rijo e meu abdômen começou a diminuir, deve ser a questão de perder massa gorda e ganhar massa magra, cheguei em casa a pouco, a mulher me esperando, nem preciso dizer o meu sorriso nesse momento certo? agora estou aqui escrevendo este blog.

Daí acordei… faltando dez minutos para sair de casa… me vesti as pressas espantado com a moleza e preguiça, acabei esquecendo o atestado médico do oftalmo e não encontrei as chaves de casa, desci correndo e minha carona já estava me esperando. Fadiga.

No trabalho uma topada do joelho com a bancada me deixou vendo estrelas e puto pelo resto da manhã, o fato de derrubar um pote de açúcar no chão também não ajudou muito. Sistema lento pra caramba me dez perder a manhã inteira em um relatório que normalmente leva 30 minutos.

Almoço bosta com pouca carne, agora que preciso aumentar minha porção de proteína, o pedaço ínfimo de carne que servem é ridículo. Música italiana rolando no refeitório, sem nem explicar o porquê, tem um medidor de satisfação na saída, apertei duas vezes o muito insatisfeito, só pra deixar bem claro.

Tarde de loucura, com diversas pessoas me chamando para solicitar alguma ajuda, e eu precisava montar uma apresentação para um diretor corporativo da empresa, dá-lhe correria, sistema lento, cabeça explodindo, nervos a flor da pele. 17:18, pessoas começam a ir embora, silêncio, consigo preparar parte da apresentação e envio por e-mail para o diretor. Amanhã vamos conversar o que precisa ser revisto e alterado. Saí as 18:35. Vou a pé pra casa, me arrastando, longe, começa a chover, felizmente minha esposa levou o guarda-chuva para mim na hora do almoço, junto com o atestado, benção de mulher.

Chego em casa e sento no sofá… corrijo um texto e paro olhando para o computador durante uma hora de vazio até começar a escrever este blog. Não foi um dia diferente, não vejo a hora da testosterona começar a fazer efeito, já devo ter escrito isso algumas vezes. Vai que na verdade essa porra é só um placebo, uma esperança falsa e injetam algo que não faz diferença pro organismo e a pessoa crente de que essa substância faz milagres começa a melhorar de uma hora pra outra. Uma injeção de auto-estima, pode ser tudo que isso é na verdade. Que merda ser tão auto-crítico. Espero estar enganado, essa porra não é barata e daqui a três meses tenho que tomar outra dose.