O Brasil do povo guerreiro, Brasil de todos os brasileiros.

Brasil, de brasileiros, de Joões e Marias, guerreiros e guerreiras. Lutadores, brigadores, de raça, que não desistem, até quando não tem mais força. Capazes de suportar, até mesmo o maior de todos os fardos. Que não se apoiam na desigualdade social, como muleta para piedade.

Levantam cedo, vão a luta, retornar a tarde com o troféu em suas mãos, ou então, voltam a luta. Brasileiro, sofridos, mas com sorrisos. Trazem na mao o calo da labuta, mas carregam em si a certeza de que valeu a pena. Cansados, maltratados, sujos da guerra diária. São brasileiros, são brasileiras, o povo conhecido pelo sorriso, que não se envergonha em provar, que não é necessário ter demais para conquistar. Conquistam casas, conquistam vidas, conquistam sorrisos, conquistam la lida. Lutam, vencem, perdem, levantam e continuam em frente. Encaram a vida como uma guerra e todo dia como uma batalha, e ao final do dia, sabem, que após o descanso, haverá outra batalha, e outras.

É um ciclo sem fim, afim de provar, que todo brasileiro é sim um guerreiro. Guerreiro do amor, guerreiro da vida, lutador de rua, pois as batalhas maiores ali são traçadas. Reforma social? Ok, vamos primeiro revolucionar nossa educação, nada de pular etapas, nada de inverter o jogo.

É o Brasil do povo guerreio, o Brasil de todos os brasileiros e não só de alguns. Sem choro, nem vela, o que se espera, é que de um país tão belo salve ao menos um pouco da imagem, de um povo que luta sem medo, não apenas que joga bem um futebol o samba como ninguém. O Brasil do povo guerreiro.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.