O que é acompanhar e torcer por um time europeu?

Às vezes, é um pouco difícil falar do assunto pois há muitas pessoas que nem ouvidos dão sequer. Por exemplo, um torcedor do Real Madrid aqui no Brasil. Atualmente, o clube espanhol é tricampeão consecutivo da Liga dos Campeões, mas você, brasileiro, pode falar para essas pessoas “intolerantes” que torce há mais de 10 anos para o clube, no fim, eles irão lhe chamar de “modinha” (simplesmente porque seu clube, no caso o Real Madrid, venceu 3 Champions seguidas).

Além disso, o Madrid foi o primeiro clube a vencer por mais de duas vezes consecutivas a Champions em seu modelo atual. (Foto: Twitter)

Cada vez mais, nós, torcedores de futebol, nos expandimos para saber um pouco mais e acabamos nos apaixonando ainda mais por ele. Claro, o futebol europeu é um palco cheio de estrelas (como Cristiano Ronaldo, Lionel Messi, etc), diferente da América do Sul, que cada vez mais perde seus craques para o futebol do velho continente. Com isso, é óbvio que eles irão atrair torcedores do mundo inteiro. Times como Barcelona, Real Madrid, Manchester United e Bayern são bem seguidos por torcedores não só de seus países, mas do mundo inteiro.

Neymar, jogador brasileiro mais famoso atualmente, conquistou uma Liga com o Barcelona, um dos times favoritos também dos brasileiros. (Foto: Goal.com)

Agora vamos entrar em outro assunto. Quando você se apaixona, quer sempre estar do lado de sua/seu amada (o), certo? Agora você, torcedor, o quão difícil é amar um clube de outro continente? Imensurável, pode se dizer. Acompanhar um time de longe requer, talvez, o dobro de paixão comparado a um de seu país, já que você não pode o ver no estádio, que é uma das coisas que você mais quer como um fã de time europeu, e, sem isso, certas vezes se sente de certo ponto distante dele.

Há de se dizer por aqui também que têm pessoas que torcem para um time do próprio país, mas que não têm viabilidade de ver fisicamente, talvez por morar em uma região diferente, entre outras coisas.

Além de tudo, o torcedor acompanha seu devido time do velho continente, vibra com vitórias, sofre com derrotas, espera títulos independentemente que venham ou não, para vir alguém e o chamar de “modinha”, no fim das contas? É chato e em quase todas as oportunidades, gera discussão. Já passei por isso tudo, sou torcedor do Bayern de Munique desde 2012, já senti na pele a perda da Liga em casa, assim como também vi meu time vencer a orelhuda diante de um adversário alemão. Após 7 anos como torcedor, ainda sou chamado de “modinha” por, simplesmente, torcer para um time não-brasileiro.

São coisas chatas, mas nós que amamos o FUTEBOL estamos propensos a esse tipo de crítica. A certeza é de que nada e nem essas críticas irão abalar ou diminuir nosso amor ao clube.