É GOLPE?

Dilma ontem foi digna e corajosa diante da corja de vagabundos golpistas. Coragem esta que lhe faltou durante seus governos. Sabemos é fato, que governou engessada pelo maléfico pacto de classes firmado lá atrás em 2002 pelo Lulopragmatismo, mas também sabemos que apesar de ao contrário de muitos, nunca se beneficiou pessoalmente de nenhum esquema de corrupção, porém, aceitou de bom grado as regras do jogo sujo em troca da tão alardeada governabilidade.

Com a crise metendo o pé na porta e sabendo-se que alguém teria que pagar a conta, o pacto de classes, tal qual a barreira da Samarco em Mariana, deu sinais claros de fadiga antes de romper de vez. Após os primeiros ataques, um inesperado e rápido rearranjo deu novo folego pra Dilma. Tentando agradar o Mercado Financeiro e o capital, emplacou Levy no Ministério da Fazenda, já que seu chefe Trabuco recusou-se. A Globo junto com a FIESP falou em união nacional e o governo começou a tocar vagarosamente as reformas neoliberais, cometendo o tão falado estelionato eleitoral, aplicando justamente as medidas prometidas pelo seu opositor Aécio Neves. Dilma e o PT já estavam totalmente reféns do PMDB, que sequestrou de vez o seu governo.

Com a crise se radicalizando e a Lava Jato chegando cada vez mais perto da vagabundagem de colarinho branco devido ao “erro” do PT ter dado autonomia ao PGR e ao MP, erro que este que FHC por exemplo não cometeu, ao nomear um “Engavetador Geral”. Além é claro do gangster Eduardo Cunha muito puto por ter seu esquema de Furnas desmontado. Para eles não havia mais jeito, era a hora de se tomar o país na marra, de salvar as próprias peles e colocar o povo pra pagar a conta da crise. E daí pra frente é a história cujo desfecho estamos vendo nesses dias.

Porém o PT é incapaz de qualquer autocrítica, Dilma respondendo um senador do PDT, que não me lembro o nome, disse que nunca mais governaria com o PMDB do mal, mas que o PMDB do bem, de Renan Calheiros e outras “figuras valorosas” seria bem vindo de volta ao seu improvável governo. É este PT que no momento de coliga em mais de 1600 municípios com pelo menos um desses partidos: PMDB, PSDB e DEM.
 
 Enfim, Dilma está certa em sugerir novas eleições, não tem a menor condição de governar sangrando e sofrendo novos ataques até 2018. Aliás, apesar da presença de Lula prestando solidariedade ao seu soldado num tribunal de exceção, nem o PT quer isto, sabe que as pechas de injustiçado e golpeado lhe cai muito melhor que a volta ao poder neste momento. Mas isto não me impede de dizer, É GOLPE! ESTÃO FODENDO COM NOSSA JOVEM, FRÁGIL E CARA DEMOCRACIA.
 
 Entretanto, o golpe não para por aí, com o Usurpador deixando de ser interino, os ataques às conquistas e direitos se radicalizarão e os mesmos nos serão tirados. Não iremos retroceder apenas para antes de Constituição de 1988, em alguns casos iremos para antes de era Vargas, em outros diria que para o final do século 19, na era da industrialização Inglesa.
 
 Sei que as panelas continuarão caladas, que o “primeiro a gente tira a Dilma depois os outros” nunca passou de bravata, que o Pato de Troia não mais sairá de seu quartel general na Av. Paulista e que não teremos mais hordas com as camisas da CBF desfilando por aí.
 
 No que depender de mim, cito a grande intelectual e poetiza contemporânea Waleska Popozuda: É tiro, porrada e bomba.