De certa forma replicamos modelos de inovação deslocados das reais necessidades da sociedade e consequentemente das instituições. Como alterar esse cenário?
A inovação e o dilema da Sandbox
Ricardo Brazileiro
154

Salve Brazileiro, gostei bastante da reflexão. Tem a ver com mta coisa que ando pensando junto com o colega Henrique Parra Parra Filho no Cidade Democrática.

Pensar a inovação como um processo que atua na grama e não na caixa de areia é um primeiro passo fundamental (gostei muito da metáfora!). Isso se faz com evidências e inclusão, como vc bem apontou. Eu acrescentaria uma lente pra gente olhar onde o poder tá concentrado. O quanto essa inovação fomenta ação autônoma que ajuda a distribuir poder. Acho esse aspecto fundamental para que novos modelos de negócios fechados e centralizadores não continuem se escondendo por detrás da agenda da inovação. Não há nada mais inovador do que atuar nas reais necessidades da sociedade com distribuição de poder.

Um abraço!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.