Como o Medium me deixou mais feliz em ler no ambiente digital

Imagem retirada do site unsplash.com

Como procurei um lugar para ler boas histórias no meio digital. Infelizmente eu era mais da lista que lia pouco, comecei a me interessar muito pela leitura quando comecei a vida universitária. Essa necessidade de ler veio como um “tapa na cara” de um professor de português e interpretação de textos. Foi uma das matérias que mais curti no meu tempo de universitário.

O professor fez uma pesquisa interna para saber quantos livros liamos por ano. O resultado foi desanimador. A maioria dos alunos não lia sequer 5 livros anuais, números baixos para futuros comunicadores. O professor de forma bem legal nos explicou como era bom lermos mais e o ganho que teríamos de vida pessoal e profissional.

Além de ler os livros que eram indicados pelos professores, leituras complementares também dava o ar da graça. Mas não só de livros técnicos que um estudante vive, principalmente de comunicação. Sim, cursei publicidade e propaganda e é “quase obrigatório” ler de tudo para termos repertório. Mas como ler de tudo se não lia nada anteriormente?

Confesso que alguns livros técnicos me davam um certo sono — justamente por serem técnicos — . Faz sentido. O que fiz nessa ocasião, foi procurar os devoradores de livros e perguntar sobre quais autore de ficção indicariam. Não foi surpresa quando me indicaram o livro “Inferno” do autor Dan Brown.

Lia o livro todos os dias no caminho de casa para o trabalho e da faculdade para a casa. Me fazia esquecer dos vários jovens que entravam no ônibus gritando e zoando tudo, achava irritante, mas a leitura me transportava para um outro lugar.

Não lembro enquanto tempo li o livro, só que quando estava quase terminando, pedia indicações de outros livros para viver aquela sensação novamente. E de novo, não me surpreende quando veio mais livros do Dan Brown para ler. Depois de “Inferno”, veio “Fortaleza Digital” e o “Símbolo Perdido”.

Ok. E o Medium, o que tem a ver com os livros?

Imagem retirada do site unsplash.com

Não me lembro ao certo quando comecei a visitar o Medium, mas de cara já fiquei muito à vontade aqui. O que lembra um livro é que não temos distrações ao redor, deixando a nossa atenção focada só na leitura. Cara e a quantidade e qualidade dos escritores que se tem aqui, impressionante.

Particularmente, pesquiso qual será a minha próxima aquisição literária. Ainda sou daqueles que gostam muito de ter um livro de papel em mão. Sentir o peso, o cheiro e ter aquela sensação de abrir o livro ainda me emociona. Como gosto da “leitura material”, o digital me incomoda um pouco, ou incomodava.

O Medium trouxe o lugar que faltava muito no mundo digital, o foco em leitura. Ausência de anúncios e de banners ou hello bars, seja lá qual é o nome, livres de distrações foi o ponto alto desse blog.

E os blogs? Eles também são do meio digital

Imagem retirada do site unsplash.com

Antes do Medium, eu costumava ir a blogs para buscar bons textos e achava na maioria das vezes. Mas, com o fortalecimento do marketing digital, inbound marketing e todas as suas vertentes, começaram a pipocar sites/blogs e qualidade começou a declinar um pouco.

Além de todos marketings aparecendo, o empreendedorismo está cada vez mais na moda. Isso é um saco. Qualidade de muitos textos começaram a declinar por causa da busca desenfreada por dinheiro.

Vivemos em uma sociedade capitalista, mas tenho acompanhado que a situação está mais grave com o passar do tempo. Uma das formas de se ganhar dinheiro é através de anúncios do google adsense e outros banners. Quantas vezes me deparei com um texto muito bom, mas minha leitura foi prejudicada por ficar gastando um tempo fechando aqueles popus e banners.

Sério, a outras formas de se ganhar dinheiro na web, sem atrapalhar a experiência do usuário/leitor.

Conclusão

Acho que deu para notar como o Medium veio para deixar o acesso a leitura mais prazeroso. Como foi bem pensado para deixar o leitor e o criador de conteúdo mais a vontade para mostrar e apreciar as obras.

Vejo que muitos blogs estão migrando para o Medium, que é excelente. Sinal de que estão pensando mais no leitor e não somente em ganhar dinheiro de qualquer forma, nos empurrando conteúdo “goela abaixo”.

A literatura sempre será necessária em nossa vida seja profissionalmente ou pessoalmente falando. Com ela, podemos enriquecer muito mais o nosso dia a dia, fazendo de nós mais críticos com aquilo que consumimos ou influenciando em nossas decisões.

É isso. Obrigado por ter lido esse texto e não deixe de comentar sobre o que achou ou se você teve essa mesma sensação.