É incrível como os rodinhos de pia dos outros conseguem sempre puxar mais água da pia que o meu. Sempre testo, se é dos outros a pia fica milagrosamente seca, enquanto o meu não puxa nem migalha de pão.

Depois de muita pesquisa comprei um celular novo e ele desbloqueia com reconhecimento facial, mas, vejam a ironia, não funciona se você estiver de máscara. De pano, claro, ou tnt ou qualquer outro material, já as subjetivas não são detectadas e o celular libera o acesso facilmente, ainda bem.

Image for post
Image for post

Minha vizinha me chamou de comunista e eu disse sou mesmo, então ela me chamou de retardada e jogou laser vermelho na janela da minha sala e eu me senti na segunda série, apesar de que na segunda série não existiam essas canetinhas de laser e o governo tinha, há pouco, voltado a ser democrático. …


Image for post
Image for post

O porteiro morreu de infarto. Sozinho, em casa, o filho o achou. Não seria sincera se dissesse que estou triste. Falava pouco e eu sempre tive dúvidas se seu nome era Eurípedes ou Orides. Era Orides. Morreu Orides, não Eurípedes, o grego que falava das agitações da alma humana antes de Cristo. Eu não sei se algo agitava a alma do Orides. Era calmo, tinha jeito de pai tranquilo. Morreu Orides depois de Cristo. E quando a porteira me ligou para dizer, eu estava ouvindo Bob Marley, e eu não faço ideia se o Orides ouviu Bob Marley alguma vez na vida, nem se gostava de jiló, domingos, carne ao ponto, papel higiênico com a pontinha virada para cima ou para baixo, água gelada ou natural. Eu não sei nenhum detalhe sobre o Orides e por isso eu provavelmente vou esquecê-lo antes de um ano passar. É que a gente se lembra do que é peculiar. Da nuance, como diz Barthes. Como me lembro de um ex sempre que a pia entope, porque ele gostava de apertar o triturador de comida que tinha na pia, apertava, sorria e dizia que todo mundo devia ter um triturador de comida. E do homem de uma noite só que disse que não tinha saco de plástico na lixeira e eu sempre me lembro dele quando troco o saco plástico da lixeira. Da amiga que gosta mais de papel toalha do que guardanapo e isso me invade a mente quando preciso escolher entre os dois. Da avó que unia os dedos quando queria conseguir uma vaga de carro e eu repito o gesto mesmo num lugar cheio de vagas. …


Image for post
Image for post

O copo ainda tem as marcas de ontem, própolis. Se vai usar de novo no dia seguinte não precisa esfregar com a bucha, nem passar sabão. Fica perto dos remédios, seis, homeopáticos, fitoterápicos e óleos que disseram que faz bem. Há sempre alguém dizendo que faz bem, ela não diz que acredita, mas tem um certo receio de desacreditar então toma. Coloca a água, duas gotas de própolis e espreme meio limão. As pelinhas arrancadas do dedão ardem. Parar de arrancar pelinhas do dedão: meta. O que arde é o que cura. Vinte gotas para evitar gripe. 1,2,3,4,5,6,7,8,9…19,20. Coloca a água do ovo para ferver antes de colocar o ovo na água fervida. Música, funk ou clássica? Variadas, deixa o destino escolher, não, essa não, essa não, essa, música popular brasileira lero lero. Agora vinte gotas do remédio para gripe. Sentiu ontem um pouco da coriza, coriza não, catarro. 1,2,3,4,5,6,… 19,20. Duas gotas de óleo de copaíba, a embalagem é dura, tem que ser duas gotas, aperta forte, caem três. A água ferveu, coloca o ovo, vermelho que o branco é só para omelete. Marca 4 minutos no relógio da parede, relógio que o ex comprou com seu primeiro salário da vida e ela sempre se lembra e pensa que devia comprar um relógio com seu próprio salário. …

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store