Tinha algumas palavras guardadas… Mas não queria ser prisão.

Um dia escreveu uma canção maluca e declamou para o mundo. Com seu coração sincero e gentil, aleatoriamente viveu.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Rita Pakulski’s story.