Vem

vem
serei-te leve
darei-te carinho
e farei-te gozar

hein
vê se te atreve
não fiques sozinho
sentado a pasmar

nem
rosa ou neve
mar, céu nem espinho
mas brilho no olhar

sem
longo ou breve
mas sim aos pouquinhos
e sem ansiar

bem
supor já deves
te quero, baixinho
confesso a corar

cem
sins me escreve
ou no seu caminho
em paz vou-te deixar


Medianeras (2011) — Gustavo Taretto