This story is unavailable.

Conheço a felicidade de rodar um vestido. Adoro. Não fui stripper, não tive oportunidade. Mas há alguns anos, nem tantos assim, gostava de mostrar a calcinha no botequim. No auge da madrugada na Lapa, Rio de Janeiro. Ainda não tava na moda e minhas performances se davam em bares decadentes. Eu levantava a saia e exibia a calcinhas de bolinhas. Quando casava de eu estar com a saia rodadinha também de bolinhas, uau. E se eu tava especialmente feliz e semi alcoolizada, batia na na xoxota comemorando “ê, bucetão!”.

Perdi o jeito, fiquei com medo de rodar. Vou comprar uma saia nova. Obrigada por me lembrar!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.