Algo que você precisa saber: o NAMBLA e a política da pedofilia

Logotipo de NAMBLA. A M maiúscula e a b minúscula simbolizam um adulto e um menor

ATENÇÃO: O presente artigo não pretende estimular violência e nem necessariamente ligar o homossexual as práticas de pedofilia. Entretanto, busca desmascarar e trazer à tona algo pernicioso e que tem apoio de certos grupelhos políticos, acadêmicos e grupos sociais. Espero que tenham compreendido.

O mais recente reboliço veio à tona por conta de um vídeo postado pelo youtuber chamado Mallone Morais no qual ele defendia entre outras coisas absurdas que os pais tirassem a virgindade das filhas. O vídeo despertou revolta e logo foi removido. Mallone Morais já teve uma conversa com a polícia no início do ano por suspeita de abuso sexual. Seu canal na rede era de games e era consequentemente muito frequentado por menores de idade.

Em outra ocasião ele se referiu a Mc Melody de maneira extremamente sensual e indecorosa como se a mesma fosse uma mulher já feita (como se referir a uma mulher de maneira chula já não fosse algo por si só desagradável).

Não se sabe o que se passa na cabeça de Mallone Morais, alguns falam em doença mental crônica ou psicopatia. O que mais impressiona foi a tremenda cara de pau em expor algo tão sórdido porque sabemos que vários que cedem a essa baixeza são bastante cuidadosos e cautelosos. Diversos casos ocorridos pelas redes sociais reacendem o debate de como os pais e filhos tem se desconectado da convivência em família. Muito positivo foi a intolerância perante o caso (nem sempre intolerância é algo destrutivo ou negativo como se supõe).

Dizem que Mallone seria portador de autismo ou alguma enfermidade mental, outros de que seria frequentador de sites como 55Chan no qual dizem haver desafios de comportamentos escandalosos.

Entretanto, não vim falar de Mallone Morais. O caso serve apenas de introdução para algo que é botado para debaixo do tapete e que grupos de minorias sexuais compulsoriamente escondem: o ativismo pedófilo do NAMBLA e outros pelo mundo.

O Que é a Nambla?

O NAMBLA (sigla para North American Man/Boy Love Association — Associação norte americana de homens e rapazes amantes) é uma organização fundada nos anos 70, mais precisadamente em 1976 que faz parte do ativismo pedófilo no qual defende a aceitação da pedofilia como fim de tabus na sociedade e da idade de consentimento.

A origem do NAMBLA remonta nos anos 60 durante a revolução sexual, agravado aos distúrbios de Stonewall. Bom salientar que o papel político da sexualidade é um dos discursos que mais se espalharam nas décadas de 60 e 70 — abusos das autoridades contra os gays por exemplo. Autoras feministas mais radicais como Kate Millet(1) e Shulamit Firestone (2) salientavam em suas obras para que para o movimento feminista triunfasse (triunfo aqui a queda do patriarcado) eram necessárias instrumentalizações que exigiram o fim das inibições, “opressões’’ e tabus sexuais.

O objetivo dos membros da NAMBLA era atacar as proibições sociais e legais contra as relações sexuais entre adultos e garotos púberes ou adolescentes. Eles baseavam-se num argumento libertário: as leis sobre idade de consentimento são uma intervenção punitiva desnecessária do governo nas vidas dos cidadãos. A princípio ganhou o apoio de associações gays de esquerda bem como de alguns libertários, mas a crescente hostilidade política para os homossexuais, relacionados com a exploração sexual de menores, fez aparecer NAMBLA como um obstáculo para o movimento gay e pouco a pouco foi perdendo a aceitação da maior parte dos seus líderes.

NAMBLA é a organização mais importante e longeva do movimento pedófilo. Pertenceu à Associação Internacional de Gays e Lésbicas (ILGA) de 1984 até 1994, quando foi expulsa. A NAMBLA acusa a ILGA de tê-la expulsado com o objetivo de conseguir um status consultivo como ONG na Organização das Nações Unidas.

Na Cultura Pop

Nas mídias há várias referências a organização como nas animações South Park e The Simpsons. No filme Kids (1994), Casper grita «NAMBLA!» a dois homossexuais que ele e seus amigos atacam verbalmente ao passar. Os policiais da série Law and Order perguntam frequentemente a suspeitos se são membros de NAMBLA quando eles afirmam ter tido relações consentidas com um menor.

A banda de grindcore Anal Cunt incluiu no seu álbum It just gets worse (1999) uma canção titulada «I Gave NAMBLA Pictures of Your Kid.

Um famoso incentivador e apoiador da organização foi o escritor beat e ativista Allen Ginsberg.

Mais Ativismo Pedófilo

Não é apenas o Nambla que se faz representar nessa categoria. Na Holanda havia o partido Partido da Caridade, da Liberdade e da Diversidade (em holandês Partij voor Naastenliefde, Vrijheid en Diversiteit) no qual era liderado Marthijn Uittenbogaard. De acordo com o próprio partido, a plataforma de NVD’s visa maximizar a diversidade e a liberdade. Várias posições adotadas pelo NVD têm sido contestadas por aqueles que as entendem como sendo ilegais e imorais.

O partido possuía a proposta de que pessoas maiores de doze anos tenham direito a voto, a manter relação sexual, a fazer apostas, a optar por seu local de residência, e ao uso de drogas leves. O uso de drogas pesadas somente seria permitido a partir dos dezesseis anos de idade. O partido também pretendia retirar da lei o casamento, permitir a nudez em público, em qualquer lugar no país, tornar gratuitas as tarifas para viagens por via férrea, e instituir uma plataforma abrangente para os direitos animais. O partido também se proclama ecológico e defensor dos animais.

O partido ficou ativo entre 2006 e 2010 quando foi encerrado, embora os ativistas ainda permaneçam fiéis a causa.

O que foi descrito aqui neste texto é algo de suma atenção. É a confirmação de que taras e doenças sexuais são relativizadas e encaradas como instrumentos de revolução social. Felizmente em nosso país há uma forte rejeição deste comportamento, apesar dos inúmeros casos confirmados até sob pessoas acima de qualquer suspeita. Entretanto, em outros locais a situação é grave e preocupante, algo que se reflete em nosso cotidiano com pessoas reivindicando que tal comportamento seja normalizado — e que buscam sua legalização através da jurisdição vigente.

A ideologia dita “revolucionária” busca a instrumentalização de tudo que venha aseu interesse, e as causas sexuais são são diferentes disso.

Tenha muito cuidado com as causas que você passa reivindicar. Sempre questione para quem interessa e desconfie sempre do ‘’puro altruísmo’’.

Você que tem seu filho, procure ter atenção ao que ele acessa na internet. Todo cuidado é pouco.

Referências:

NAMBLA https://pt.wikipedia.org/wiki/North_American_Man/Boy_Love_Association

_______ https://www.nambla.org/

Mallone Morais http://www.redetv.uol.com.br/jornalismo/cidades/pedofilo-e-preso-em-sao-paulo

____________ http://horabrasil.com.br/14972/internauta-sugere-que-pais-estuprem-filhas-em-video/

____________ http://www.revistaforum.com.br/2016/09/12/pedofilo-do-youtube-internauta-defende-direito-de-homens-estuprarem-filhas/

(1) “Uma revolução sexual exigiria antes de mais, talvez, o

fim das inibições e TABUS sexuais, especialmente aqueles que

mais ameaçam o casamento monógamo tradicional: a homossexualidade,

a «ilegitimidade», as relações sexuais pré-matrimoniais

e na adolescência. Deste modo, o aspecto negativo no

qual a atividade sexual tem sido geralmente envolvida seria

necessariamente eliminado, juntamente com o código moral

ambivalente e a prostituição….sexual acabaria com

a instituição patriarcal, abolindo tanto a ideologia da supremacia

do macho como a tradição que a perpetua através do

papel, condição e temperamento atribuídos a cada um dos dois

sexos……..Isto permitiria uma integração de SUBCUTURAS sexuais,

uma assimilação de ambos os lados da experiência humana

até aqui excluídos da sociedade. Da mesma forma, seria conveniente

reexaminar as características definidas como «masculinas

» ou «femininas» e reconsiderar o seu valor no aspecto

humano: a violência encorajada como manifestação de virilidade

e a excessiva passividade definida como característica

feminina, inúteis em ambos os sexos; a eficiência e o intelectualismo

do temperamento «masculino» e a ternura e a consideração

ligadas ao temperamento feminino, recomendáveis a ambos os sexos sem distinção”.

(Kate Millet — Política Sexual, 1971).

(2) “(…) so the end goal of the feminist movement, not just the male privilegy but of the sex distintion itself: genital diferences between human beings would no longer matter culturally. (A reversion to un unobstructed panssexuality — Freud’s ‘’polymourphus perversity’’) — would probaly supersede hetero/homo/bi-sexuality)”

Shulamit Firestone (The Dialetcs of Sex, 1984).

Partido Liberdade, Caridade e Diversidade http://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2006/06/060601_leiholandamp.shtml

________________________, http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,grupo-que-defende-pedofilia-cria-partido-na-holanda,20060601p46454

_______________________,<https://pt.wikipedia.org/wiki/Partido_da_Caridade,_da_Liberdade_e_da_Diversidade>