A moralidade sem Deus, é possível ?

Será que podemos viver em um mundo justo colocando Deus e a Bíblia de lado ?


Hoje estava respondendo a um amigo no Facebook, sobre bondade, Deus, bíblia, vida universo e tudo mais… e me veio à mente a questão da moralidade humana. Afinal, o que é certo ou errado ? Bom ou mau? De onde tiramos estas definições? O que nos impede de matar alguém ? Será que é o medo de uma lei nos enjaular em uma cela pelo resto da nossa vida ? Ou porque porque a outra pessoa tem o mesmo direito de viver que eu?

A muito tempo temos tirado Deus de cena, o tratando como uma força que rege o universo, ou algo da imaginação humana, ou ainda negando sua existência completamente.

Além de Deus, temos a Sua palavra: a Bíblia, que também tem sido colocada de lado em colégios, universidades, casas, governos, etc. Sendo tratrada cada vez mais como um livro que para alguns, é um livro de histórias ou de contos e ficção.

Porém, se negarmos completamente a existência de Deus e acharmos que a bíblia é apenas um livro de faz de conta, não estaríamos retirando a base necessária para toda a criação, não só do universo e do ser humano, mas também dos nossos valores morais ?

Veja bem, antes de continuar, quero dizer que não vou aqui defender Deus ou a bíblia. Isso é um assunto tão chato, que fico com a declaração do grande pregador C.H. Spurgeon:

Defender a Bíblia? Seria o mesmo que defender um leão. Simplesmente dê liberdade à Bíblia. Ela defenderá a si mesma.

Voltando a questão da moralidade:

  1. Qualidade, característica do que é moral, do que segue os princípios da moral.
  2. Conjunto dos princípios morais, individuais ou coletivos, como a virtude, o bem, a honestidade etc.; moral.

Todos nós concordamos que há o conceito de certo e o errado. Diria até que este é um conceito universal, uma lei universal. Como C.S. Lewis explica no seu livro Cristianismo Puro e Simples, o ser humano sabe e vivencia (obedece ou desobedece) uma “Lei da Natureza Humana”. Mas a pergunta é: de onde veio esta lei ? Seria ela criada por nós? Se sim, porquê? Ou será que ela veio de um processo evolutivo, algo como “evoluímos, por isso ficamos melhores e mais respeitosos?”


Seguindo neste raciocinio… evoluímos, por isto melhoramos. Se apenas evoluímos e melhoramos, qual foi a base desta evolução ? De onde tiramos o conceito de que matar é mau e cuidar de alguém é bom ? Será que em certo momento alguém teve um espasmo cerebral e pensou “Nossa, se matar é bom, então alguém irá me matar. Porém, morrer é ruim. Logo, matar deixa de ser bom?”. Se um individuo chegou a esta conclusão, extrapolemos isto para uma sociedade inteira, o que levou determinadas nações a tornarem-semais justas que outras ? O que levou os EUA a criarem um senso de justiça social, mas acabou não ocorrendo com a Índia (onde ainda persiste uma sociedade de castas)?

Pra mim só há uma resposta a estas questões: a Bíblia e Deus. São Eles (e me permita chamar a biblia de Ele, pois Deus não é maior que sua Palavra, sua Palavra é quem Deus é) que nos dá um referencial objetivo de valores e princípios morais.


Vamos por um momento tirar Deus da jogada. Sem Ele, qual é nosso referencial objetivo que nos permite dizer que situação X é boa, e situação Y é ruim ? Podemos dizer que algo dentro de nós estabelece estes valores. Porém, fazendo isto, estamos subjetivando a moralidade, ou seja, a moralidade está no sujeito (no EU). “Eu acho que ajudar uma idosa a atravesar a rua é bom. Eu acho que matar é ruim”.

Parece bom né ? Só tem um problema: qual a certeza de que aquilo que eu acho correto, outra pessoa também concorde? Será que não pode acontecer da minha bondade ser algo ruim para outra pessoa ? Ou o que eu penso ser certo, para outra pessoa ser errado ?

Estando a moralidade no sujeito, isto é possível, pois seria algo como uma preferência moral, e não um valor absoluto, algo como uma preferência por bananas à maças.

Então, precisamos de um referêncial objetivo para isto e só o encontramos em Deus (através de seus atributos). Foi Deus quem nos deu a lei e nos disse “Ei, matar ou roubar, isso é ruim. Amar a próximo, isso é bom”. Foi com base nisto que civilizações foram fundadas, evoluiram e puderam se tornar lugares mais justos para seu povo. Foi utilizando a Bíblia que Lutero conseguiu ensinar pessoas a lerem, foi usando a Bíblia que monges entenderam que o ensino devia ser universal, foi na Bíblia que governantes acharam valores e leis justas para legislarem.


Ou seja, quanto mais tentamos retirar Deus e a Bíblia da nossa sociedade, mais nos afastamos de verdades absolutas que precisam ser estudadas, aplicadas e praticadas.

Um bom vídeo que resume este assunto:

Abraços,

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.