Oi Glauber.
Alex Simões
1

Olá, Alex. Muito obrigado pela sua participação ;) Alegro-me muito ao ver comentários respeitosos. Na época em que eu tinha uma relação mais próxima ao adventismo isto era muito raro… Reitero que há muitos escritos tendenciosos, em que cujos autores já iniciam sua dissertação com armas em mão. E esta foi minha motivação ao escrever o texto.

Já escrevi a respeito de minha opinião sobre a religião adventista em um outro post que publiquei em meu site pessoal (a long time ago). Por isso discordo de sua opinião a respeito da interpretação da doutrina. Na época em que o escrevi, fiz muitas pesquisas, muitas leituras (muitas mesmo, provavelmente mais do que a maioria dos adventistas), conversei com pastores, professores, enfim, não foi uma mera pesquisa no Google, para chegar à conclusão de que havia muitas definições nas doutrinas da igreja e na literatura de Ellen White que me fizeram concluir que era muito além do que simplesmente está na Bíblia. Não vou elaborar isso, mas no outro post escrevi um resumo da minha opinião.

IMHO, as religiões (a adventista talvez até mais do que as outras) querem ter respostas para todas as perguntas e colocar todos os porquês do universo em um texto corrido e de fácil explicação. E eu nunca tive pretensão de ter todas as respostas. Pra mim é o excesso de interpretação que leva ao erro. Não que o erro signifique algo importante, afinal, todo mundo erra a todo momento, mas esta persistência causa desvio do alvo principal: amar a Deus sobre todas as coisas a seu próximo como a si mesmo.

Como sou curioso, gosto de mergulhar e estudar sobre alguns temas, mas nada durante esta pesquisa me impediu de — como você viu neste texto — ter meus melhores amigos adventistas, ouvir e cantar canções de adventistas. Eu consigo muito bem discernir entre estruturas e pessoas. Muitos cristãos, infelizmente, não. Daí iniciam-se discussões desnecessárias.

Inclusive, houve recentemente um comentário naquele outro post cuja resposta que enviei resume bem como eu lido com as questões sem respostas que as doutrinas batalham para responder:

Pergunta: Se tem uma coisa que não consigo e nunca consegui é ser calvinista ou compartilhar da doutrina esposada por eles… Dois recém nascidos, um é eleito e predestinado pára desfrutar do lindo céu e outro predestinado para gemer e ranger os dentes ou a gengivinha no inferno caso morra nos primeiros meses de vida… me parece mais doutrina da desgraça… tô fora!

Minha resposta: Olá, Márcio. Obrigado por seu comentário ;) Eu não consigo ser nada diferente de simplesmente… cristão. IMHO, me colocar como praticante de qualquer “ista” é apenas uma camada a mais entre mim e o motivo de minha existência: Jesus. Apesar de conhecer várias doutrinas, minha caminhada me ensinou que interpretações são especulações e “ismos” são interferências. Prefiro apenas ser cristão e parte da Igreja, aquela que tem gente de todos os tipos, que pensam e agem diferentemente, que acertam, que erram e que se arrependem (ou não). Predestinação vs livre arbítrio quanto à salvação? Não me importo no que você acredita, contanto que sejamos amigos e possamos passar um bom tempo juntos. Sábado vs Domingo? Idem. Carne vs Vegetariano? Mesma coisa. Corinthians vs Palmeiras? Aí já é pedir demais rsrs Abração pra você e fique com Deus

Novamente, este é só o jeito que penso. Nunca quis convencer ninguém a pensar como eu. Quando percebo que vem ataque do lado de lá, eu apenas deixo pra lá ;) Ainda estou longe de ser craque nos frutos do Espírito, mas de vez em quando tento praticar a mansidão rsrs

Grande abraço pra você!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.