Geração Y Iniciando Uma Nova Era.

Cada vez mais crescente é o número dessa “geração da internet” insatisfeita com o modelo convencional de organização, desconfortáveis com as zonas de confortos ensinadas pelas gerações anteriores.

A minha geração me parece tentar olhar de forma mais profunda nossa forma de se organizar, seja enquanto sociedade, empresa, família ou amigos. Estamos repensando a forma de se organizar, de interagir.

A física quântica revolucionou o mundo tecnológico e nos faz refletir sobre muitas coisas e rever paradigmas. Há muitas (mas muitas) “coisas” ocultas aos nossos 5 sentidos. Mas e agora?

Partindo do princípio que o que existe é aquilo que conseguimos conscientizar linearmente, e somente conseguimos conscientizar as informações absorvidas pelos nossos 5 sentidos, o que fazer quando temos comprovações científicas que nossa consciência é extremamente limitada? Como alcançar as “informações” que estão neste “campo escuro”?

A intuição é o nosso sexto sentido, que nos permite voltarmos a nós mesmos e “sentir” o que nossos olhos, boca, ouvidos, dedos e nariz são naturalmente incapazes de alcançar.

Será assim mesmo? O que há por trás desse ou daquele comportamento? O que é felicidade? Onde ela está? No dinheiro? O que devo fazer? Porque estou insatisfeito?

Percebo em nós, geração y, uma curiosidade mais profunda nas coisas.

Essas análises mais profundas estão causando transformações. Estão quebrando paradigmas. Será que o ser humano é realmente tão horrendo como sempre nos disseram? Será que a competitividade é a única forma de sobrevivência? Será que realmente há lugar para poucos “vitoriosos”? Será que o mundo é de fato escasso? E se tentássemos fazer diferente?

A internet deixou mais claro o que sempre existiu entre nós. A conexão. Nos sentimos um. Somos um. Nosso coração é a forma mais poderosa de se comunicar com o todo. As vezes não o entendemos, e por isso o questionamos.

Uma vez ouvi dizer que a cabeça estava acima do coração não por acaso. Mas será mesmo? E se aceitarmos o caminho do coração? Somos uma geração onde muitos optam por experienciar sua jornada estando em consonância com seu coração, com o seu sentir, com o seu Ser. Mesmo sem saber o que me espera ali na frente, optamos, muitas vezes, por seguir aquilo que sentimos estar conectados com nossa essência.

Somos uma geração que começa a pensar o mundo sob uma perspectiva diferente. Somos uma geração de transição de realidade. O que será não sabemos. Mas sentimos que o caminho é esse. E isso basta.