Resumo do capítulo “Inteligência Coletiva”, de Cibercultura, por Pierre Lévy

A inteligência coletiva ainda é algo a se estranhar, uma vez que as tecnologias se multiplicam rapidamente e é impossível acompanhar em tempo real tais avanços, mas Lévy (1999, p. 31) afirma que essa rapidez pode ser um benefício para a sociedade, pois quando “melhor é a apropriação, por indivíduos e por grupos, das alterações técnicas, e menores são os efeitos de exclusão ou de destruição humana resultantes da aceleração do movimento tecnosocial”. Outro ponto citado pelo autor é que o ciberespaço, advindo da inteligência coletiva, é um fator privilegiado dela:

“Os pesquisadores e estudantes do mundo inteiro trocam idéias, artigos, imagens, experiências ou observações em conferências eletrônicas organizadas de acordo com os interesses específicos. Informatas de todas as partes do planeta ajudamse mutuamente para resolver problemas de programação. O especialista de uma tecnologia ajuda um novato enquanto um outro especialista o inicia, por sua vez, em um campo no qual ele tem menos conhecimentos…” (LÉVY, P. 1999, p.31)

Lévy também lista alguns fatores que podem surgir com uso frequente do ciberespaço como dependência, surgimento de rumores, fadiga devido ao uso em excesso e exposição a inúmeras situações, o que se entende que acontece uma vez que os compartilhamentos de informações pessoais se tornam uma rotina, como no Facebook, por exemplo. É como uma bola de neve em que “um de seus principais efeitos é o de acelerar cada vez mais o ritmo da alteração tecnosocial, o que torna ainda mais necessária a participação ativa na cibercultura, se não quisermos ficar para trás […]” (LÉVY, 1999.).

Por fim, Pierre conta como a cibercultura pode ser socialmente um remédio para problemas tecnológicos e também um veneno para aqueles que dela não desfrutam. Um remédio, pois apresenta antídotos e uma convivência que pode não acontecer fora do virtual e um veneno, pois quem nela não vive fica excluído.

REFERÊNCIA:

LÉVY, Pierre. CIBERCULTURA, 1999. Disponível em <https://mundonativodigital.files.wordpress.com/2016/03/cibercultura-pierre-levy.pdf> Acessado em: 29.agosto.2017

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.