VALE A PENA INSISTIR EM LUTAR?

PELO QUE VOCÊ LUTA? POR QUE VOCÊ LUTA?

Hoje de manhã, no caminho para o trabalho, me peguei refletindo sobre a motivação das guerras e sobre minha própria vida, e cheguei à seguinte decisão: “NUNCA MAIS IREI LUTAR POR NADA NA MINHA VIDA!”

Olhando para trás percebi que durante toda minha existência eu vi, ouvi, li e fui ensinado de que DEVEMOS LUTAR POR AQUILO QUE QUEREMOS E ACREDITAMOS.

Aprendi que se eu quisesse ser bem sucedido teria que lutar pelas melhores notas, pelo melhor colégio, pela melhor vaga de trabalho, pelos melhores resultados e na minha empresa precisaria lutar pelos melhores clientes.
Para ser feliz precisaria lutar pelos meus sonhos, lutar por quem eu amasse, lutar para defender o que eu acreditasse.

Enfim, minha vida deveria se resumir a lutas constantes para poder vencer. Mas isso me incomoda profundamente, pois não gosto nenhum pouco do conceito envolvido no termo luta.

Segundo o dicionário, Luta pode ser definido como: “Esforço feito por duas pessoas, duas facções, dois povos para vencer um ao outro” ou “Ação de duas forças que agem em sentido contrário”.

Uma luta gera vencedores e perdedores, gera prêmios e derrotas, gera conflito, e gera ódio.

Pensando nisso decidi olhar para o meu próprio caminho até aqui e descobri que nunca gostei de lutar, nunca fui partidário da violência ou me senti confortável em um ambiente carregado de agressividade e competição.

É claro que já lutei algumas vezes (literal e figurativamente) mas ao relembrar tais lutas (tanto físicas quanto verbais) não consigo me sentir feliz ou orgulhoso de qualquer uma delas, nem mesmo das que eu ganhei. 
Lógico que foram bons os momentos de vitória, quando me senti o cara mais certo do mundo por ganhar uma discussão, mas após passada a euforia do momento notei que agi ou falei de maneiras que não condiziam com aquilo que eu acreditava: quando humilhei alguém, expus seus pontos fracos ou utilizei de argumentos que não pudessem ser rebatidos.

Uma luta sempre gera um vencedor, mas também gera vários perdedores, e consequências negativas (físicas ou psicológicas) que poderiam ter sido evitadas.

Enfim, percebi hoje que o motivo das guerras, do ódio, das trapaças e da humilhação é a vontade do ser humano por sempre querer LUTAR.

“Mas como pode ser possível então ser feliz e sucedido se eu não lutar pelo que quero?” 
Essa pergunta me bateu forte no estômago, mas olhando para o meu caminho acho que consegui encontrar a minha resposta.

De repente percebi que todas as minhas melhores realizações, todos os prêmios e reconhecimentos recebidos, todos os marcos dos quais sinto imenso orgulho NÃO foram fruto de lutas. Todas as boas memórias foram resultado de TRABALHO e DEDICAÇÃO.

Como num passe de mágica uma luz se ascendeu na minha mente, meu caminho se tornou claro e notei que o prêmio de liderança foi resultado de um ano dedicado a criar laços e fortalecer um grupo, a homenagem pública foi recebida por conta da atenção dada às pessoas à minha volta, o convite para me tornar membro de algumas das melhores organizações sociais vieram em decorrência da minha vontade de construir laços e resultados tangíveis e, principalmente, da minha paixão por me comunicar com as pessoas.

Agora mesmo, ao escrever este texto, não consigo parar de sorrir e me lembrar destes momentos e dos sorrisos alegres das pessoas à minha volta. Em minha memória parecem momentos puros, alegres e livres de competição ou ódio.

A LUTA DESTRÓI, MAS O TRABALHO E A DEDICAÇÃO CONSTROEM!

O legado da luta é o ódio e a vingança, enquanto o legado do trabalho é a prosperidade.

Agora que meus olhos se abriram e tudo se tornou claro decidi que um dos meus grandes objetivos será “TRABALHAR POR UM MUNDO SEM LUTAS”, não quero lutar por mais nada.

E você? Qual o seu objetivo? Você está mais disposto a LUTAR ou a TRABALHAR por ele?