Cachoeira Almécegas I — Alto Paraíso-GO.

Cadernos dos Veadeiros – V

Elon Musk disse ontem em sua conta pessoal de Twitter que a realidade pode ser uma construção de um povo mais evoluído no futuro, que simularia essa nossa vidinha mais ou menos, sabe-se lá porque razão.

Se for este o caso, posso apenas agradecer. Porque tem coisa bonita demais nessa realidade aqui. Uma mente capaz de criar o conceito de cachoeira merece todo reconhecimento.

Algo bastante recorrente nas trilhas aqui da Chapada dos Veadeiros é o empilhamento de pedras, como se pode ver na foto do post. Talvez, o mesmo motivo pelo qual o pessoal curte empilhar pedras seja o que leva os povos evoluídos do futuro a construir realidades maravilhosas. A gente tem que deixar uma marca. Somos inventivos. Nem que seja pra empilhar umas pedrinhas.

Mas, seja de forma autônoma ou sob o controle de algoritmos baseados em inteligência artificial, nós mesmos participamos da construção de nossa realidade, pode ser empilhando pedra, tomando banho de cachoeira, xingando muito no Facebook, casando, separando… deu pra entender.

Hoje a construção de nossa particular realidade começou com o tradicional café da manhã das férias. Antonieta fez leite de castanha, eu fiz ovos mexidos e tapioca. Estávamos acabando de comer quando Denise e Mark chegaram de Brasília para se unir a nós durante o fim de semana. Com ambos ambientados, partimos para mais uma série de três cachoeiras: Almécegas I e II e São Bento. (Obs.: Almécega é a resina extraída da almecegueira, utilizada na composição e fabricação de vernizes e fármacos; também conhecida por mástica ou mástique.) As trilhas a pé foram menores a distância de carro também. Hoje foi um dia light. Alguns trechos foram um pouco puxados, mas nada como nos dias anteriores.

Visitamos Almécegas II primeiro, por causa do sol. Bela cachoeira, que ocupamos quase que exclusivamente na maior parte do tempo. Água gelada, mas já estou me acostumando com a temperatura. Seguimos para Almécegas I: 1 km de trilha, mas uma formação natural belíssima. Mais água fria e mergulhos. Almoçamos humildemente na cachoeira e partimos para São Bento, a mais acessível de todas. Tinha mais gente, mas rapidamente o pessoal foi indo embora. Mais açaí para complementar o almoço e banho. Jambalaya nos esperava mais uma vez. Combinei com Denise de comermos o Arroz Jambalaya, extravagante que só ele. Arroz com frango, linguiça, aipo, presunto, bacon e camarão. Hoje foi dia de maldade. Amanhã tem voo de balão, então o negócio é tentar dormir cedo. Às 5h15 da manhã, devemos nos encontrar com a equipe.