da estranheza

o mundo já é rápido demais pra mim
em algum momento,
numa esquina qualquer
(a inspiração já se foi)
as pessoas passam, distraídas
uma hora, duas, meio dia
passa-tempo: passam carros na avenida

Chuva monótona

De monólogos surdos

e a vida continua, comprida
entre linhas de fuga e saída
deslizamos da mão escorregadia
do destino tortuoso 
 – da água benzida